Circulou nas redes sociais durante esta segunda-feira, 28, um texto alertando a população de que câmeras de seguranças foram instaladas em diversos pontos de Araranguá com o intuito flagrar e multar motoristas, mas isto não é verdade, ao menos uma parte disso.

Nesta segunda, 12 câmeras de segurança começaram a operar no município, mas a sua finalidade não tem qualquer relação com o trânsito. O novo investimento em segurança é um projeto organizado pelo Fórum de Segurança Pública de Araranguá, que resultou em uma pareceria público-privada entre a prefeitura e a Associação Empresarial de Araranguá e do Extremo Sul Catarinense (ACIVA), com o objetivo de auxiliar as polícias a combater o crime e a violência.

A escolha dos 12 pontos a serem monitorados 24 horas por dia, foi realizada pelas polícias Militar e Civil. Com um posicionamento estratégico, as câmeras estão na entrada e saída de Araranguá - localizadas no bairro Cidade Alta e Barranca, Av. Getúlio Vargas, trevo que liga o município aos balneários Arroio do Silva e Morro dos Conventos, área central da cidade e a rodoviária.

Trabalho de anos

Araranguá é última cidade com mais de 50 mil habitantes a receber este tipo de projeto em SC, é o que explica o presidente do Fórum de Segurança, Laercio Machado Junior. “Estas câmeras vem sendo um objeto de trabalho do Fórum há alguns anos. Já estava tarde, cidades menores que aqui já tem este tipo de equipamento. Apesar de Araranguá estar atrasada, agora nós nos colocamos em uma situação em que devíamos estar há dez anos”, salienta

Ao estar ciente dos rumores sobre o funcionamento das câmeras, o presidente enfatiza que as imagens captadas não são de responsabilidade do Detran ou de qualquer órgão regulador de Trânsito. “Essas câmeras têm o papel único de auxiliar na repressão do crime e na elucidação de delitos. Elas não estão interligadas com nenhum sistema de multas, infrações e não servem para levantar qualquer tipo de dados de trânsito. Esta hipótese nunca foi levantada”, finaliza.