O empresário Marcelo Pereira de Aguiar, de 36 anos, foi solto na última quinta-feira, 26, na cidade de Paso de Los Libres, na fronteira da Argentina com o Brasil. Ele havia sido preso na terça, 24, pela polícia de Corrientes, sob suspeita de atirar e matar um morador de rua em Santo André, no ABC paulista, em maio.

Na decisão de soltura, o juiz federal argentino Gustavo Fresneda argumentou que o empresário foi solto por não haver um pedido de captura internacional. Além disso, alega o juiz, o caso não preenche os requisitos previstos na lei argentina de cooperação internacional criminal.

"Nós queremos entender que o magistrado da órbita federal, segundo o que está colocado no ofício, não pesava sobre esse sujeito o pedido de captura internacional", declarou em entrevista à RBS TV na sexta-feira, 27, o comissário maior da polícia de Corrientes, Pedro Pablo Rolón.
Segundo Rolón, é possível que a Justiça brasileira não tenha feito o pedido de captura à Interpol --e, por isso, não houve motivação legal para manter Marcelo Aguiar detido.

O Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo, porém, afirma que solicitou na própria quinta a inclusão do nome de Aguiar no sistema de difusão vermelha da Interpol (lista que reúne pessoas com pedido de captura internacional).

Empresário suspeito de matar morador de rua em Santo André é solto na Argentina

A Polícia Federal afirma que desde que recebeu a informação da detenção do empresário na Argentina tem atuado no caso para adoção das medidas necessárias, em contato com o Juízo responsável.

Antes de ser preso na Argentina, o empresário estava foragido. Ele teve a prisão decretada logo após ser identificado, cerca de dez dias depois do crime.

A polícia ainda busca a motivação do crime, mas acredita que Marcelo não gostava que Sebastião, o morador de rua, dormisse na casa abandonada a 50 metros da pizzaria que ele tem em Santo André --nem que pedisse dinheiro aos clientes dele.

Crime

Uma câmera de segurança registrou um homem sendo atingido por ao menos cinco disparos de arma de fogo.

No vídeo, é possível ver que o atirador desce do lado do passageiro de um carro de luxo prata. Em outro ângulo, a imagem mostra Sebastião Lopes caminhando pela rua por volta das 20h, momento em que é abordado pelo assassino.

Sebastião, que tinha 40 anos, ainda tentou fugir, mas não resistiu e acabou caindo no chão. O Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foi acionado e constatou sua morte no local.

Ele era morador de rua, vivia nas redondezas com a esposa e costumava pegar resíduos recicláveis nas ruas.

Depois da ação, o atirador volta correndo para o veículo e foge.

No apartamento de Marcelo foram encontradas duas armas de grosso calibre. A polícia acredita que ele era colecionador de armas. Ele já tinha sido preso no começo de março, no 1º Distrito Policial de São Bernardo, por porte ilegal de arma de fogo. Testemunhas disseram que ele abordou pessoas se passando por policial federal.

Fonte: G1