O assassino de Brenda da Rocha Carvalho agora ganha um rosto e as investigações se encaminham para um fim. Jeferson Quadros Peres, 30 anos de idade, é marceneiro autônomo e morador de Três Cachoeiras. O motivo do crime teria sido vingança. Jerferson teria tido um relacionamento com a mãe da menina e alegou ter cometido o crime por raiva da ex-companheira.

Desde que o corpo de Brenda foi encontrado em uma plantação de eucaliptos, no último sábado, 14, em passo de Torres, a Polícia Civil tem investigado incessantemente para descobrir o autor do crime. Na reportagem do Grupo W3, você acompanhará a investigação completa e como a polícia chegou até Jeferson.

Delegado André Coltro, deleado Diego de Haro e deleagdo Lucas Fernandes da Rosa, responsáveis pelas investigações 

Os trabalhos iniciaram no sábado, no mesmo dia em que o corpo da adolescente foi encontrada. As câmeras de segurança do município de Maracajá, local onde a menina morava e havia desaparecido na sexta-feira, 13, começaram a ser analisadas. “Voltamos ao início, onde a vítima havia sumido. A principal informação que nós tínhamos, era que Brenda foi fazer a unha e não voltou mais para a casa. Próximo a residência desta manicure, existe um Ginásio Municipal que possuí câmeras de segurança. Uma destas câmeras focalizava exatamente o local onde a Brenda fez as unhas”, explica o delegado Lucas Fernandes da Rosa.

Ao analisar as imagens do Ginásio, e mapear o trajeto da menina através de outras câmeras, as investigações identificaram um veículo do modelo corsa, de cor escura, trafegando lentamente próximo à Brenda. Pelas imagens, é possível ver que a menina entra de forma voluntária dentro do carro. Ninguém sai do veículo ou à puxa. O delegado conta que esta imagem foi fundamental, pois indicava que a vítima conhecia o autor do crime.

Autor do crime, Jeferson Quadros Peres

Comportamento atípico

As pessoas próximas de Brenda começaram a ser ouvidas. O delegado conta que um dos entrevistados, Jeferson, começou a demonstrar sinais de desconforto. “Um indivíduo começou a demonstrar um comportamento estranho, isto levantou suspeita. Ao investigar a vida deste rapaz, identificamos que ele possuía um veículo que se enquadrava nas características do carro que havíamos pego nas imagens da câmera de segurança”.

Na tarde de terça-feira, 17, após a apresentação das evidências, a Justiça liberou a prisão temporária de Jeferson e apreensão do veículo. “Fomos até Três Cachoeiras, fizemos a busca, mas não conseguimos localizar ele lá. Foi quando recebemos a informação de que ele estaria internado em Torres”, salienta o delegado. Jeferson havia dado entrada em uma Unidade Básica de Saúde de Torres. Ele havia ingerido veneno de rato, em uma tentativa de suicídio.

Roupas usadas por Jeferson no dia do crime

Esclarecimento do crime

Mesmo sem um interrogatório oficial, o delegado conta que Jeferson já deu alguns detalhes do crime. Ele conta que para convencer a adolescente a entrar no carro, falou que precisava conversar sobre a mãe de Brenda. A menina seguiu o trajeto até Bela Torres com ele, quando pediu para parar, pois precisava urinar. Foi então que Jeferson desceu do veículo e desferiu os golpes de faca em Brenda.

Ao ser questionado sobre a arma do crime, Jeferson levou a polícia até a casa de sua mãe. Jeferson escondeu as roupas do dia do assassinado e a faca utilizada no galpão da casa da família. Na faca, havia a ausência de um pequeno parafuso, que foi encontrado na cena do crime, próximo ao corpo de Brenda. O que deu a policia ainda mais certeza que se tratava do autor do crime.   

Vítima Brenda da Rocha Carvalho, de 14 anos de idade

Requintes de crueldade

Brenda foi encontrada sem vida, com dezenas de golpes de faca pelo seu corpo. Havia a ausência de dentes e afundamento de crânio. Sinais de extrema violência. Após cometer o crime, o autor reconheceu o corpo no IML junto com a família, frequentou o velório, e até comprou comida para deixar os familiares a amigos da vítima mais confortáveis.

A partir de agora, Jeferson será interrogado formalmente e será encaminhado ao presídio.