Um agricultor morreu eletrocutado depois que tentou cortar um fio que estava ligado em uma rede de alta tensão. O fato aconteceu por volta das 10h30 desta quarta-feira (12) na localidade rural de Sanga Negra, município de Sombrio.

Era para ser mais um dia de trabalho nas terras de areias escuras pertencentes a Antônio Duarte Espíndula de 64 anos. A lavoura é dividida entre a plantação de mandioca e o cultivo de maracujá.

Antônio acordou cedo como sempre. Embarcou no trator vermelho e avançou sobre a roça extensa que é ladeada por uma cerca elétrica. Sem perceber acabou batendo em uma vara de bambu que sustentava um dos fios.

“Com o impacto o fio foi lançado para cima e enrolou na rede de alta tensão que abastece a localidade. Foi visto fogo percorrendo os postes e também a cerca elétrica. Assustado Antônio desceu do trator e tentou cortar o fio com ajuda de um alicate. Assim que tocou o condutor acabou caindo no chão e morreu no local”, revelou o operador de um trator, Deuclides Nunes Gonçalves de 21 anos.

Deuclides foi a única testemunha do fato. Tentou gritar com o amigo para que não prosseguisse, pois, a rede estava energizada. Mas segundo ele foi tudo muito rápido. Inclusive a morte do colega de lavoura.

De acordo com técnicos da Celesc a voltagem de alta tensão que tirou a vida do agricultor chega a 13.600 volts no local. Já as cercas trabalham com baixas voltagens e na localidade funcionam de maneira irregular ou precária. Ainda segundo eles, esses fatos, aumentam em muito o risco de morte por choque elétrico, e, também, provocar incêndios.

O corpo de Antônio Duarte Espíndula de 64 anos, foi recolhido pelo Instituto Geral de Perícias (IGP) e levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Araranguá.