O ano de 2019 começa com índices negativos quando o assunto é violência contra a mulher, pelo menos na região. Janeiro foi um mês violento para as mulheres na Cidade das Avenidas e os números – tanto da Polícia Militar, quanto da Polícia Civil, comprovam isso.

Somente no primeiro mês do ano foram registradas 16 ocorrências em Araranguá. Segundo informações da PM, seis prisões foram efetuadas durante o período. Já a Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso, DPCAMI, instaurou 14 inquéritos em janeiro, destes cerca de 10 envolviam algum tipo de violência contra a mulher.

De acordo com o delegado, Henrique Gonçalves Muxfeldt, na maioria dos casos, o agressor é o companheiro da vítima. “Grande parte das vezes a violência é motivada pelo consumo de álcool, de drogas ou o desgaste da relação”, explica.

Acolhimento

O delegado ainda destaca que ao chegar na DPCAMI a vítima possui apoio psicológico feito por uma equipe de acolhimento. “Nosso atendimento é feito por agentes mulheres, que já possuem a sensibilidade para acolher e conduzir a vítima aos procedimentos necessários”, completa Henrique.

Para denunciar casos de violência contra a mulher, o telefone é 180. A ligação é gratuita e podem ser feitas sob sigilo.