A violência diária que estampa as manchetes dos jornais, demonstram um aumento da criminalidade e diversos outros problemas relacionados à segurança pública. Santa Catarina é um dos estados que mantem o índice de letalidade da polícia mais baixo, mas neste último ano, sofreu um aumento considerável de 33,8%.

Segundo o comandante geral da PM de Santa Catarina, coronel Araújo Gomes, em entrevista ao Diário Catarinense, as razões para o crescimento dividem-se em três eixos: mais armas nas mãos de criminosos, disposição de enfrentar a polícia e a proximidade da facção nascida no Estado com grupos criminosos do Rio de Janeiro.

Segundo os dados da Secretaria da Segurança Pública (SSP), a cada quatro dias, uma pessoa é morta por policiais em SC. Até este período do ano, 91 pessoas morreram em confrontos. Das mortes, 89 mortes foram feitas pela Polícia Militar (PM) e duas foram pela Civil. As estatísticas revelam um aumento de um terço (33,8%) na comparação com o mesmo período do ano passado. O atualmente o número até este período, já é superior ao total de mortes em intervenções policiais registrado em todo o ano de 2017, que ao todo foram de 77 casos.

De acordo com comandante, o criminoso não está evitando o confronto, e lida com profissionais mais preparados e prontos para uma atuação eficaz. “A letalidade policial não é uma escolha. Ao intervir, nosso objetivo é prender. Entretanto, é imposta por situações de perigo e, se for necessário e legal, acontece e vai continuar acontecendo. É preciso que os criminosos entendam que os policiais estão preparados e equipados para situações críticas, e evitem o confronto” finaliza.

Fonte: Com informações do Diário Catarinense