Uma ocorrência de sequestro foi registrado na manhã deste domingo, 2 e mobilizou as Polícias Civil e Militar de Araranguá. De acordo com as primeiras informações, uma mulher, mãe de três crianças teria sido sequestrada por homens armados.

A Polícia Militar foi a primeira a ser acionada e conforme a mãe da vítima, por volta das 10h30min de hoje, a filha de 25 anos teria sido sequestrada, sendo a informação repassada por um vizinho. Rapidamente guarnições foram mobilizadas para a ocorrência, umas cercando as possíveis rotas de fuga, outras indo para as imediações em busca de maiores detalhes do crime. Na casa da mãe da vítima, localizada no bairro Coloninha, os militares foram informados que três homens armados pegaram a vítima e a colocaram em um VW Gol de cor branca que estava com a placa traseira tapada, fugindo em sentido ignorado.

Apesar das intensas buscas o veículo, os bandidos e a vítima não foram encontrados, sendo que os familiares e uma testemunha foram levados para a Central de Plantão Policial para serem ouvidos. A Equipe da DIC de Araranguá também foi mobilizada para investigar o sequestro. Na delegacia os policiais civis ouviram a mãe da então suposta vítima e um vizinho.

No Boletim de Ocorrência registrado pela mãe, ela relatou que por volta das 10h30min de hoje, a filha de 25 anos teria saído com o seu vizinho até uma padaria no bairro Coloninha, pois segundo ele, lá estariam precisando de funcionários para trabalhar. Quando voltavam para casa, um veículo Gol de cor branca com três homens armados pegaram a vítima e a colocaram nesse veículo.

O vizinho chegou na casa da mãe da vítima apavorado contando o que havia acontecido. Logo após o ocorrido, ao chegar em casa, o vizinho encontrou uma carta em seu portão endereçada à mãe da vítima. No bilhete escrito pela suposta vítima, dizia para mãe cuidar dos seus três filhos, pois ela tinha ido embora e que não voltaria mais, nem para casa e nem para o atual companheiro, que havia deixado o sistema prisional na última sexta-feira.

As horas foram passando, os depoimentos sendo tomados e o quebra-cabeças foi montado. Por volta das 16h15min a então vítima foi encontrada na casa do namorado de 16 anos, por quem abandonou três filhos e o companheiro. Ela negou o sequestro, afirmando que foi até a casa do adolescente e, por amor, resolveu ficar na casa com ele. Disse que não houve emprego em padaria, carro, arma ou qualquer outro indício de sequestro ou de outro crime. Ela foi levada para a delegacia para prestar esclarecimentos, assim como as demais pessoas envolvidas.

De acordo com a Polícia Civil, todas as pessoas foram ouvidas para posterior deliberação da autoridade policial em relação aos fatos.