Começou às 10 horas e terminou às 22 horas de ontem, quinta-feira dia 15, o segundo Júri Popular do ano, na Comarca de Araranguá. Sentaram no banco dos réus Antônio José da Rosa de 62 anos, Maicon Scarpari Pereira de 32 e Rafael da Silva de 24 anos. Eles foram acusados pelo homicídio de Renan da Silva, o “Dente”, na época com 32 anos.

O crime ocorreu por volta das 00h45min do dia 07 de setembro de 2016, na Rua Agenor Joaquim Matos, na Vila Dona Izabel, em Balneário Arroio do Silva. A vítima estava na casa de um vizinho, quando foi chamado pelo nome e, ao sair, foi alvejado por disparos de arma de fogo. A esposa da vítima ouviu os disparos e ao sair para ver o que estava acontecendo, visualizou um taxi de cor branca deixando o local, e o marido caído em via pública.

Na época, Renan foi socorrido pelo SAMU e levado desacordado em estado grave para o Hospital Regional de Araranguá. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 02 horas daquela madrugada.

A sessão foi presidida pela juíza Letícia Pavei Cachoeira, tendo como representante do Ministério Público o promotor Gabriel Ricardo Zanon Meyer e como defensores dos réus, os advogados criminalistas Vicente Machado e Leandro Gonçalves.

Após 12 horas de julgamento os jurados absolveram Antônio e Maicon, condenando Rafael da Silva, autor confesso do homicídio, a uma pena de 12 anos de reclusão em regime inicial fechado. Rafael está preso há mais de um ano, e hoje, após o júri, retornou ao presídio.

Fonte: Diogo CCR