“Atualmente o SAMU tem sede na 3ª companhia de Bombeiros de Araranguá e isso facilitou muito os nossos serviços”, a afirmação é do comandante da 3ª Companhia do Corpo de Bombeiros Militar de Araranguá, Tenente Vinicius Marcolin.

Desde o dia 24 de janeiro o SAMU e o Corpo de Bombeiros trabalham de forma integrada, com o objetivo de aperfeiçoar os serviços de atendimento. Conforme Marcolin, mesmo não havendo uma união completa o trabalho é mais fácil. “Hoje, ainda há dois números para ligação, o 192 e 193, mas ideia é uma central única. Ainda há situações de que ambos sejam chamados para mesma ocorrência, mas por estarmos na mesma sede, ambos acabam se comunicando internamente”.

Essa comunicação interna traz benefícios, pontua Marcolin. “Houve situações de que os bombeiros foram chamados para uma ocorrência especifica, mas dentro do quartel nos comunicamos e vimos que para um melhor atendimento o SAMU deveria ir, bem como, houve um caso que enviamos duas viaturas”.

Hoje, os trabalhos prestados pelo SAMU e Bombeiros são diferenciados, esclarece. “O Corpo de Bombeiros realiza suportes básicos, já o SAMU, suporte avançado, pois possui socorrista, médico e enfermeiro”.

Dado o primeiro passo

Para o comandante, o ponta pé inicial foi dado. “O mais difícil é haver a integração, unir em um mesmo espaço o SAMU e os Bombeiros e isso já foi feito. Agora, em curto prazo iremos unir os sistemas e melhorar ainda mais o atendimento para a população”.

Como prometido em coletiva de imprensa concedida o mês de janeiro pelo o gerente Estadual do Samu, coronel João Batista, este formato deve ser incorporado em todo o estado, por meio de uma central única.