Os acidentes de trânsito foram a principal causa de mortes em 2016. Segundo o relatório do Instituto Médico Legal de Araranguá, do total de 93 óbitos registrados por morte violenta na região da Amesc, 26 foram de acidentes de trânsito. “Neste ano, as estatísticas foram registradas por meio de um novo sistema, por isso, não temos como detalhar as causas específicas destes acidentes, como capotamento, colisão ou atropelamento, por exemplo, mas sabe-se que este número se refere aos acidentes de tráfego”, explica a auxiliar médico legal, Fernanda Emídio.

O registro do Portal de Notícias W3 reforça ainda mais a estatística do IML. Segundo o arquivo do site, mais de 300 matérias relacionadas a acidentes de trânsito foram publicadas em 2016. “Claro que estes registros englobam não apenas os com morte e sim no geral, desde colisões leves, até outros com vítimas graves, mas não fatais. De qualquer forma, fica o alerta para a população”, destaca o editor-chefe do Grupo, Saulo Pithan.

De acordo com o tenente da Polícia Militar, Diego Schwartz, algumas atitudes simples podem evitar novos acidentes. “Na verdade, se o cidadão seguir a legislação corretamente, ele estará correndo riscos muito menores. Dirigir dentro da velocidade permitida, usar o cinto de segurança e não falar ao celular enquanto dirige, por exemplo, são comportamentos que podem salvar vidas”, afirma.

Orientações da PM que podem evitar acidentes de trânsito:

- Só conduza veículos de categoria na qual você é habilitado;
- Sempre leve consigo sua Carteira Nacional de Habilitação e o Certificado de Licenciamento
- Anual do veículo. São documentos de porte obrigatório;
- Qualquer alteração que for feita no veículo deve passar pela vistoria;
- Sempre use cinto de segurança;
- Não use celular enquanto estiver dirigindo;
- Acione as luzes indicadoras de direção (setas);
- Não dirija após ingerir bebida alcoólica;
- Só ultrapasse em locais permitidos. Muitos acidentes graves ocorrem durante a ultrapassagem;
- Respeite a sinalização;
- Não ultrapasse o limite de velocidade permitida;
- Dirija de modo a evitar acidentes, sem se importar com os erros cometidos pelos demais motoristas;
- Nas motos, use sempre capacete, faróis acesos, segure o guidão com as duas mãos e não use calçados que prejudiquem a utilização dos pedais;
- Seja educado no trânsito!

Demais causas

A segunda maior causa-morte apontada pelo IML da região é enforcamento, que teve 17 registros. Em seguida, vem homicídio por arma de fogo e afogamento, com 11 registros cada um. Já os menores índices apontam como causas: arma branca, eletroplessão (ou por descarga elétrica) erro associado ao sistema de Saúde, esganadura, morte por:

 Acidente de trânsito  26
 Afogamento  11
 Arma branca  1
 Arma de fogo  11
 Eletroplessão / Por descarga elétrica  1
 Enforcamento  17
 Erro associado ao sistema de saúde  1
 Esganadura  1
 Instrumento contundente  5
 Morte por intervenção policial  1
 Morte natural  4
 Putrefeito  1
 Queda  2
 Sufocação indireta  1
 Dependendo de exames complementares  10
 Total  93

 

2015 superou

Em 2015, o número geral de mortes foi superior a 2016, com um total de 115, contra 93 deste último ano. 2015 também teve o trânsito como principal causa-morte, com 49 registros, sendo 42 por colisão/capotamento e sete por atropelamento. Em seguida, vieram os homicídios, sendo 11 por arma de fogo, sete por arma branca, duas asfixias e duas causadas por instrumentos contundentes. Já entre os menores índices de 2015 ficou a morte natural, com nove ocorrências.