A semana começou com novidades na Polícia Civil de Araranguá. Depois de quase trinta dias sem um delegado titular, a Divisão de Investigação Criminal-DIC, coordenada há mais de uma década pelo delegado Jorge Giraldi, agora será comandada pelo delegado Lucas Fernandes da Rosa.

A autoridade policial chega com missão de conquistar a confiança da população e manter os bons resultados obtidos por Giraldi e sua equipe que realizou nos últimos cincos anos recorde de prisões por tráfico de drogas e manteve uma taxa de resolução de crimes acima dos 90%. Dentro dos números levantados pela DIC de Araranguá em 2015, a taxa de resolução de homicídios e tentativa de homicídio (crimes dolosos contra a vida) foi de 91,3%.

Tráfico de drogas e corrupção na mira da Polícia Civil

Em sua primeira entrevista à imprensa na função de coordenador da DIC, o delegado Lucas falou com exclusividade à Revista W3 sobre o novo desafio: “Encaro com muita seriedade, pois coordenar esta delegacia é sim um grande desafio justamente pelos ótimos resultados que ela vinha obtendo. Nosso objetivo é continuar esses grandes resultados, como também aumentar esse tipo de abrangência de investigação. Vamos priorizar crimes de maior repercussão como tráfico de drogas, roubos e homicídios, também vamos atacar crimes que afetam a sociedade de uma maneira silenciosa que são os crimes de corrupção. Não podemos deixar de atuar nessa vertente pois são crimes que trazem prejuízos à sociedade ocasionado pobreza e miséria à população. Isso contribui com tráfico, aumenta o número furtos e roubos fazendo girar a cadeia evolutiva dos crimes”, explica.

Criatividade para driblar as dificuldades

Para driblar a falta de efetivo que interfere diretamente no trabalho realizado pela Polícia Civil, o delegado Lucas pretende usar a criatividade e o planejamento. Há mais de um ano ele atuava na 1ª Delegacia de Polícia Civil, um órgão mais burocrático que acumula os boletins de ocorrência registrados em todas as delegacias do município. “Quando estava na 1ª DP meu problema principal era falta de efetivo, pois tinha apenas um agente de polícia para investigar e isso tornava tudo mais difícil. Agora com a possibilidade de um efetivo maior, será possível trabalhar planejado para dar um ritmo maior de trabalho. Todas as semanas teremos prisões. Teremos equipes específicas para cumprir mandados de prisão, investigação e atendimento ao público. Queremos trazer melhores condições de trabalho aos policiais e acredito que o empenho de todos será responsável por um ótimo trabalho à sociedade”, antecipa.

Mostrando trabalho

Segundo o delegado, a Polícia Civil sempre trabalhou com efetivo reduzido mas também sempre apresentou bons resultados. E por falar em resultado, o novo titular da DIC chegou mostrando trabalho. Na tarde desta segunda-feira, Lucas e sua equipe realizou a prisão de um estelionatário com quatro mandados de prisão e 41 passagens pela Polícia. “Já acabamos de assumir e já estamos realizando prisões. Esse será o ritmo aqui na DIC. Não vamos dar trégua para a bandidagem”, pontuou.

Parceria com a população

Lucas que criar um elo com a comunidade e pede apoio dos moradores para colaborar com informações. “A Policia Civil irá continuar fazendo um bom trabalho e pode confiar. A população precisa ter a consciência que somente unidos seremos mais eficientes”, finalizou.