Passados pouco mais de um mês da execução de Renan da Silva de 32 anos, mais conhecido como “Dente”, ocorrida no início da madrugada do último dia 07 de setembro na Rua Agenor Joaquim Matos, na Área Verde, Vila Dona Izabel, em Balneário Arroio do Silva, o crime foi elucidado pelos agentes da Polícia Civil da DPMU do Arroio, coordenados pelo Delegado Lucas Rosa.

Segundo apontou a investigação, Renan estava em uma residência quando por volta das 00h40min, chegou um taxi de cor branca ocupado por três homens, momento em que Rafael da Silva da 22 anos desceu e atirou contra a vítima. Após o crime o trio fugiu.

Rafael foi contratado pelo dono do taxi para executar Renan que tinha uma dívida com o suposto mandante, relacionada com o tráfico de drogas. Para não ser pego, o taxista entregou o veículo ao seu genro, para que ele levasse o atirador até o local.

Ontem, segunda-feira, após cumprimento de seis mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão, foram presos preventivamente Rafael da Silva de 22 anos e Julian de Souza Felipe de 24, o qual já estava preso em Tubarão, acusado de tráfico de drogas. Já o taxista de 60 anos e seu genro de 30, estão presos temporariamente.

Rafael, em depoimento confessou a prática do homicídio, indicou que pessoas estavam com ele dentro do carro e afirmou que o proprietário do veículo, havia encomendado a morte para ele, pelo valor de R$ 5 mil, sendo que até o momento o autor confesso afirmou ter recebido apenas R$ 500,00 e o restante do valor ainda estava tentando cobrar do taxista.

Segundo o delegado Lucas, o taxista apontado como mandante do crime tem passagens policias por crime de tráfico e associação para o tráfico de drogas, tendo já sido preso em 2010 pelo delegado Jorge Giraldi. O genro, que levou Rafael e Julian para executar Renan, tem passagem por violência doméstica, Julian por tráfico e Rafael por furto e tráfico de drogas. Julian nega que estava com Rafael no dia do crime, o taxista e seu genro alegam que não tinham conhecimento de que Rafael iria matar Renan. A vítima, Renan, também tinha passagens policiais pelo crime de tráfico de drogas e a investigação policial apurou que a motivação do crime foi relacionada ao tráfico.

Após a confissão de Rafael, o delegado Lucas vai representar pela conversão da prisão temporária em preventiva do taxista e seu genro.