Um crime que chocou a região e deve chocar o país, após a Polícia Civil ter confirmado o motivo pelo qual o assassino justificou ter tirado a vida de um adolescente de apenas 15 anos de idade.

Em entrevista exclusiva à Revista W3, o delegado Jair Pereira Duarte que comandou as investigações confirmou a versão de homofobia. Segundo a autoridade policial, o autor dos golpes que vitimaram Erick Canaã durante um festa em Arroio do Silva, revelou ter espancado com chutes, socos e pontapés a vítima porque suspeitou que ele era homossexual.

Ainda segundo a Polícia Civil, o adolescente morreu sem chance de defesa, pois durante a festa regada a muita bebida alcoólica, maconha, cocaína e ectasy, a vítima teria bebido demais e acabou caindo em dos cantos externos da casa onde aconteceu o crime.

A autoridade policial revelou também que a vítima foi agredida até a morte e que após cometer o crime, o assassino e um amigo que testemunhou o assassinato, voltaram para a festa para se divertir como se nada tivesse ocorrido.

"Alguns outros convidados da festa, assim como o autor, estavam em estado alterado por causa das drogas pesadas e a grande quantidade de álcool ingerido. Por isso chegaram a tirar fotos e ate fazer selfie com o corpo do adolescente já morto, foi o que identificamos através de conversas e imagens pelo WhatsApp," contou o delegado.

Assista o vídeo e saiba todos os detalhes e o destino de quem assassinou e ajudou a ocultar o corpo do adolescente.

 

Caso Érick: Polícia Civil faz reconstituição do crime