Uma ação exemplar das forças de segurança deve coibir ações de violência sexual contra crianças e adolescentes nos municípios da AMESC.

Ontem, a Polícia Civil de Sombrio cumpriu um mandado de prisão preventiva contra G.C., 42, pai de uma adolescente portadora de necessidades especiais de 20 anos, acusado de estuprar a própria filha ao longo dos últimos seis anos.

Segundo a investigação, após perceber o comportamento estranho da filha de 20 anos sempre que estava em companhia do pai, a mãe passou a questionar a filha, até que a garota decidiu relatar em detalhes os inúmeros abusos sexuais do pai, que praticava sexo com a menina desde que ela tinha 14 anos, e portanto, era duplamente incapaz, já que além de ser menor de idade na época, ainda é portadora de necessidades mentais especiais.

Apesar das evidências do estupro, o pai da menina respondia ao processo em liberdade, mas mesmo assim, desrespeitava as medidas protetivas impostas pela Justiça, e se aproximava da filha, mesmo sabendo que a aproximação estava proibida.

Por causa da desobediência às ordens judiciais de afastamento, a prisão preventiva foi decretada no dia 30 de junho. A Polícia Civil buscava pelo paradeiro do acusado, que estava desaparecido, mas ele foi encontrado ontem, em Turvo, na casa de uma mulher, com quem estava residindo.