Treinando nas alturas. Este foi o desafio encarado por 24 homens do Corpo de Bombeiros Militares que integram a Força-Tarefa da corporação no Sul do Estado. O grupo é altamente treinado e tem a missão de atuar na pronta resposta a desastres e eventos naturais de grande magnitude. Eles geralmente trabalham em parceria com o SAMU e outros órgãos da segurança pública. De acordo com o Tenente Marcello Della Giustina da Silva, que coordena a Força-Tarefa na região Sul, este treinamento de salvamento em altura, está sendo realizado para oferecer aos militares, uma possibilidade de rever as instruções e mantê-los atualizados com as técnicas apropriadas de resgate.

Treinamento constante

Ainda segundo o Tenente, o treinamento constante é uma forma de manter o condicionamento físico e técnico dos militares, com o objetivo de dar mais agilidade as ações de socorro e evitar acidentes de trabalho. “Nos treinamentos discutimos todas as variáveis que podem surgir em uma ocorrência. Entre os assuntos reforçados está a segurança da missão. Daí a importância do constante treinamento. Destaco o profissionalismo dos militares que atuam nesta Seção e o desejo de todos em bem servir a sociedade potiguar”, ressaltou.

Que canseira nada!

Segundo Sargento Juan Fernandes, que também auxiliou no comando do treinamento, durante o período da manhã as atividades foram realizadas em um prédio da cidade onde os Bombeiros Militares puderam simular o atendimento à uma ocorrência onde a vítima estava presa no último andar da edificação que possui mais de 15 metros de altura.

Já no período da tarde, os militares encararam o desafio de descer utilizando técnica de rapel, um dos paredões rochosos do Morro dos Conventos que tem aproximadamente 36 metros de altura. “O importante não é tanto a altura. Quem desce 30m, também sabe descer 60 ou mais. O que levamos em consideração é a técnica de ancoragem e descida, que são essenciais para um resgate nesta modalidade,” acrescentou Ten. Marcelo.

Ocorrências na região Sul

Segundo o Corpo de Bombeiros, em toda região são registradas pelos menos duas ocorrências que exigem salvamento em altura todo mês.