O delegado Jorge Giraldi, coordenador da Divisão de Investigação Criminal de Araranguá prometeu empenho nas investigações acerca da execução do taxista Vagner Mendes Júnior, ocorrida na noite do último sábado, dia 20. Desde o dia do crime, os trabalhos iniciaram, sendo que no início da tarde de domingo o automóvel roubado durante o latrocínio, foi encontrado totalmente carbonizado.

A autoridade policial, durante as investigações chegou na identidade de um adolescente infrator, foragido de Centro Sócio Educativo de Balneário Camboriú, o qual estava foragido e fora acolhido na Favela do UCCA, no bairro Divinéia, em Araranguá.

Durante a noite de ontem, na investida que culminou na apreensão de dois adolescentes infratores que haviam praticado um crime análogo a roubo, a dois estabelecimentos comerciais da cidade, um dos apreendidos confessou a participação na morte do taxista. “Começamos a desvendar o latrocínio do taxista, com a apreensão deste adolescente que era foragido. Ele contou como o crime foi praticado, porém não delatou os comparsas. Acredito que além dele, outros adolescentes e quem sabe um maior, estão envolvidos nesse crime. Os trabalhos continuam”, afirmou Giraldi.

O jovem infrator que já tem antecedentes, não conhece muito a nossa região, mas lembrou onde pegaram o taxista, onde o mataram e onde incendiaram o automóvel roubado, um Fiat Siena de cor branca.

Na delegacia, quando questionado de seus atos infracionais praticados em Araranguá o garoto respondeu: “Estou foragido há três semanas e aqui pratiquei dois roubos e um homicídio”.

O delegado acredita que quando os marginais ligaram para o taxista solicitando a corrida, já tinham a intenção de rouba-lo e, acabaram o matando por reconhecer algum dos passageiros.

O adolescente que confessou a participação no latrocínio segue detido e as investigações continuam afim de identificar os demais envolvidos.