Em testes realizados recentemente pela Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (CIDASC) foram detectadas a presença da bactéria Brucelose, em pelo menos 66 bovinos. Os animais contagiados estão em três propriedades no município de Forquilhinha e mais três na cidade de Maracajá.

As análises preliminares foram realizadas em 550 propriedades que possuem gado leiteiro. A produção é comercializada nas indústrias de laticínios da região de Criciúma. Nos exames conclusivos, aproximadamente 44 coletas acusaram a Brucelose.

Em uma outra análise feita recentemente com os produtores de leite, e desta vez, com frigoríficos da região sul foram descobertos 44 novos focos da doença.

Os cuidados para quem produz

De acordo com a veterinária da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (CIDASC), Carla Zoche, o comprador deve se certificar das condições sanitárias de todos os animais, antes da compra.

Ainda segundo a veterinária que, também é responsável pela Defesa Sanitária Animal (DSA), o comprador do animal deve ficar atento e exigir os exames preliminares de Brucelose e Tuberculose.

“A principal forma de contágio da doença e pelo ingresso de animal doente na propriedade. Por não conhecer a procedência e condição sanitária o produtor ou frigorifico insere o animal aumentando a chance de propagação da bactéria”, explicou a veterinária.

Sanidade animal

Apesar dos focos da doença, a veterinária garante que o Estado de Santa Catarina possui um rebanho saudável e é reconhecida mundialmente pelas ações de saúde animal.

“As doenças alvos dos programas sanitários são elencadas considerando o risco de saúde pública, como por exemplo, aquelas transmissíveis do animal para o ser humano, também conhecidas como zoonoses, capacidade de disseminação das doenças que podem acarretar grandes perdas econômicas”, ressaltou Zoche.

A Brucelose

A Brucelose, também conhecida por “Febre de Malta”, é uma doença infecciosa e pode ser contraída pelos humanos através do contato com o animal contaminado, consumo de leite in natura quando não fervido a uma temperatura de 65° Celsius e seus derivados.

Nos seres humanos contaminados costumam apresentar os seguintes sintomas: dores articulares e musculares, febre, perda de peso e fadiga. Algumas pessoas desenvolvem dor de barriga e tosse.

O Tratamento para os humanos

De acordo com o Ministério da Saúde, o tratamento da brucelose humana é realizado através da administração de antibióticos. Caso não for tratado o quadro da doença pode evoluir para um problema crônico.

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece gratuitamente o tratamento para Brucelose Humana para os municípios brasileiros.
A orientação é que havendo suspeita de contágio seja consultado um profissional da área médica imediatamente.

Fonte: Fotos: CIDASC e Web / divulgação