Foi aprovado na sessão desta segunda, 22, na Câmara de Vereadores de Araranguá, o projeto de autoria do vereador, Ozair da Silva, para que sejam oferecidas pela secretaria de Saúde o que se chama de Práticas Integrativas e Complementares (PIC). Com o projeto, vinte e nove PIC’s, poderão servir como alternativas para o tratamento dos pacientes. De acordo com o autor, a intenção é oportunizar aos usuários do sistema de saúde público os mesmos tratamentos encontrados na rede privada, considerados menos invasivos. “Este projeto possibilitará que o município contrate estes profissionais e ofereça muito mais que os tratamentos convencionais”, justificou.

Serão consideradas PIC’s para efeitos da lei: apiterapia, aromaterapia, arteterapia, ayurveda, biodança, bioenergética, constelação familiar, cromoterapia, dança circular, geoterapia, hipnoterapia, homeopatia, imposição de mãos, medicina antroposófica, medicina tradicional chinesa, meditação, musicoterapia, naturopatia, osteopatia, ozonioterapia, plantas medicinais e fitoterapia, quiropraxia, reflexologia, reiki, shantala, terapia comunitária integrativa, terapia de florais, termalismo social e crenoterapia, e yoga.

A sessão também foi prestigiada por um grupo de terapeutas que acompanharam a votação com cartazes que lembravam a importância das técnicas. O projeto segue agora para o Poder Executivo que poderá vetar ou sancionar a lei.

Fonte: Morgana Daniel