Termina na próxima terça-feira, dia 26, o plantão especial até às 21 horas, de vacinação contra febre amarela, para atender pessoas que trabalham no horário comercial. A partir de então, a vacinação ocorre na Sala de Vacinas do Cemasas, somente, nas terças e quintas-feiras das 7h30 as 11h45 e das 13h às 15h45 e na sexta-feira das 7h30 às 11h45.

Apesar de ter estendido o atendimento durante a mês de março, o Departamento Municipal de Saúde registra que a quantidade de pessoas imunizadas não representa, ainda, 50% da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde para o município, que é de 5,4 mil pessoas com idades entre nove meses e 59 anos.

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, transmitida por mosquitos infectados com o vírus, e que pode levar à morte em cerca de uma semana se não for tratada rapidamente. Seus sintomas são febre de início súbito, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas, vômitos, fadiga e fraqueza.

Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. "A prevenção é fundamental, é apenas uma dose na vida para ficar imune e é preciso que as pessoas procurem o Cemasas e se vacinem", diz o diretor de Saúde, Diogo Copetti.

Maracajá repete a realidade de Santa Catarina, e a Secretaria de Estado da Saúde iniciou nesta semana um esforço concentrado de seus técnicos para reverter a situação. Até 20 de abril, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina realiza a Campanha Estadual de Vacinação contra a Febre Amarela.

Fonte: Assessoria de Imprensa