A médica carioca, que iniciou atividades em Maracajá em janeiro, como integrante do Programa Mais Médicos, do governo federal, abandonou o programa de forma abrupta, desfalcando o quadro de pessoal do Departamento Municipal de Saúde. A coordenação do programa federal informa que a reposição somente se dará com a publicação de um novo edital de convocação, que não tem data para ser emitido.

As informações são do diretor de Saúde, Diogo Copetti, que apenas recebeu, por aplicativo, mensagem da médica, informando seu desligamento do programa e que, imediatamente, deixaria de atender no município. Ela trabalhou, exatos, 41 dias na cidade. A coordenação regional do programa Mais Médicos, informou que a profissional se negou em cumprir o "aviso prévio" previsto no contrato, preferindo arcar com custos financeiros de sua decisão.

"Não temos previsão de quando teremos um médico do governo federal para efetivar a substituição e estamos realizando levantamentos financeiros e jurídicos para contratação emergencial de um médico para atender nossa demanda no Cemasas", disse o diretor de Saúde. Pelo Programa Mais Médicos, o profissional contratado recebe da União salário de R$ 12,2 mil mensais por 40 horas semanais e o município banca custos de moradia e alimentação, valores definidos em lei municipal.

Fonte: Assessoria de Imprensa