Foto: Eduardo G. de Oliveira / Agência AL

A importância da participação das mulheres foi destaque nas manifestações de deputados presentes à abertura do Congresso de Liderança Política Feminina. Entre as opiniões, unanimidade na visão da importância da mulher na participação política.

Mauricio Eskudlark (PL)

É muito importante, quero parabenizar a organização. A mulher tem que participar da política, mas não imposta por lei, mas incentivada, motivada, tem que buscar. A mulher tem a sensibilidade e tem demonstrado competência em todas as áreas da administração pública. Então é muito importante motivar mais mulheres a participar da vida política do Estado e do país.

Coronel Mocellin (PSL)

Hoje, embora esteja prevista na legislação, a gente vê que ainda está muito acanhada a participação da mulher. Eu sou presidente do partido em Itajaí, e temos dificuldade em agregar mulheres. Esse tipo de evento desperta interesse, fomenta a ideia e mostra a importância da mulher na política para decidir os rumos do país, do estado e dos municípios. Acho que isso aqui é de fundamental importância.

Laércio Schuster (PSB)

Esse evento é importante, essa parceria entre parlamento e TRE para incentivar a participação da mulher e, mais ainda, fazer com que os homens vejam isso com bons olhos. Eu fui prefeito de Timbó e valorizei muito, principalmente no meu colegiado, a participação da mulher. Nós precisamos e desejamos que cada vez mais ela traga esse olhar sensível para as causas da política. E sem dúvida, com a participação dela, nosso Brasil fica melhor.

Fernando Krelling (MDB)

Promover, estimular que as mulheres se envolvam no pleito eleitoral, se envolvam na política. Hoje 30% geralmente é mulher e o restante é homem. Quem sabe um dia a gente possa estimular bastante e que isso possa se inverter e as mulheres possam ser maioria na política. Precisamos disso, mulheres comprometidas, capacitadas e que se envolvam neste cenário tão importante como é a política.

Jerry Comper (MDB)

Nós sabemos o quanto é importante a Assembleia trazer esta discussão. É muito importante as mulheres participando da política, e nós, parlamentares, apoiamos esse projeto.

Altair Silva (PP)

A participação da mulher na sociedade, principalmente na política, é essencial. As mulheres têm um sexto sentido mais evoluído, têm uma percepção maior, e a participação delas na vida pública é fundamental para que tenhamos uma sociedade totalmente democrática e participativa. Tenho certeza de que as mulheres sairão daqui mais empoderadas, mais reconhecidas pela sua importância na sociedade. E as mulheres na política fazem a diferença, e nós precisamos que essa diferença esteja presente no dia a dia da política. Meus parabéns a todas as mulheres e ao outubro rosa, ao qual estamos todos engajados.

Luiz Fernando Vampiro (MDB)

É um evento superimportante. O mundo mudou, Santa Catarina mudou, e as pessoas têm que mudar. Essa concepção de política, da participação efetiva das mulheres e dos jovens é fundamental. Então aguçar isso, trazer à baila novos instrumentos que possam interagir e também construir uma política não só feminina, mas de uma forma generalizada, com conteúdo, é superimportante. Por isso quero parabenizar a Escola do Legislativo, a Marlene, que tem se dedicado muito a essa causa, e obviamente as outras deputadas: Luciane Carminatti, Ana Campagnolo, Ada de Luca e Paulinha, que muito bem representam as mulheres na Assembleia Legislativa.

Ismael dos Santos (PSD)

Mais do que nunca, até pela questão legislativa, precisamos da presença feminina, não apenas como espectadora de um processo, mas como alguém que atua, como alguém que faz acontecer. Fico feliz. Vi a nominata não só dos palestrantes, mas das instituições envolvidas, e entendo que esta é uma marca histórica para a Assembleia Legislativa e para o movimento político no Estado de Santa Catarina.

Volnei Weber (MDB)

É uma grande evolução. Já passou o tempo da mulher ficar em casa para lavar a roupa, fazer a comida e cuidar das crianças somente. Ela faz tudo isso também, mas ela tem que participar do diálogo na sociedade, na vida de todos, discutindo economia, saúde e educação, enfim participando de uma forma muito efetiva da discussão política. Isso vem acontecendo, ainda com muita dificuldade, mas esse evento vem provocar e promover a celeridade deste processo, fazendo com que as mulheres participem mais. A legislação diz que 30% são reservados, mas vemos que os 30% não são ocupados. As mulheres têm que se sentir importantes. Elas são importantes, mas têm que participar mais. Esse evento vem a contribuir com isso.

Fonte: Agência Alesc