O trabalho elogioso que os vereadores de Araranguá vem fazendo ao longo dos últimos anos, têm chamado a atenção dos empresários, em especial da Associação Empresarial de Araranguá e Extremo Sul Catarinense (ACIVA). Com um trabalho voltado para a economia dos recursos públicos, a Câmara devolveu aos cofres do município, nos anos de 2017 e 2018, o montante de R$ 2,5 milhões. E para que esta boa notícia não seja apenas um capítulo empolgante da história política araranguaense, a associação se reuniu com os vereadores.

Intitulado “Café com Vereadores”, a ACIVA recebeu os vereadores da Cidade das Avenidas na manhã desta terça-feira (16). A reunião, presidida pelo presidente da associação, André Pietsch Serafin, contou com a participação de membros da diretoria da entidade.

O assunto foi abordado com elogios por Serafin, que lembrou que os vereadores do atual mandato estão de parabéns. “Olhando o histórico da Casa, percebemos o quão importante tem sido esta ação de todos os vereadores desta atual gestão. Vocês estão dando o exemplo e merecem todos os nossos elogios”, discursou.

Porém, Serafin demonstrou preocupação de que esta ação possa não ter sequência com os futuros vereadores a serem eleitos em 2020. “Nas últimas legislaturas essa economia não foi feita. De 2009 a 2016, foram devolvidos pela Câmara pouco mais de R$ 202 mil. Nos últimos dois anos, mais de 11 vezes esse valor. Será que os próximos vereadores vão seguir esse exemplo?”, indagou ele, que ainda completou. "A redução do repasse é a garantia de que não voltaremos aos tempos passados".

Para marcar esta ação, a ACIVA entregou um ofício solicitando que eles votem e aprovem a redução do duodécimo, de 7% para 5,5%. A entidade baseou-se em um estudo técnico, elaborado pela contadora Gabriele Gil Gomes. Segundo o estudo, os recursos repassados pelo Executivo ao Legislativo são baseados em um percentual, que atualmente está na casa dos 7%, o chamado duodécimo.

“Nós comparamos dados do portal da transparência, tanto do Executivo, quanto do Legislativo, para entender como foi feita esta economia e como ela impacta no orçamento. E chegamos a conclusão de que é possível diminuir o repasse de 7% para 5,5%, que é o orçamento que os atuais vereadores já estão colocando em prática”, explicou Gabriele.

Vereadores debatem a ideia

Durante a reunião, estiveram presentes 10 vereadores: o presidente da Casa, Daniel Viriato Afonso; Luciano Pires, Ronaldo Soares, Diego Rosa Pires, Cristiano da Silva Costa (Tano), Igor Batista, José Paulo Roldão, Jair Anastácio, Pedro Paulo de Souza (Paulinho) e José Marcio Scarsanella (Tubinho).

Serafin avaliou a reunião como positiva e esclareceu algumas dúvidas dos vereadores e colocou a ACIVA a disposição para eventuais esclarecimentos sobre o estudo técnico. “A economia é viável e é possível”, disse. “Não podemos deixar passar este momento. Eles estão fazendo um ótimo trabalho e eles merecem deixar seus nomes marcados na história”, completou.

Fonte: Assessoria de Imprensa