Após a audiência pública no início de abril, que discutiu a situação das barragens em Santa Catarina, na segunda-feira, 22, a Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos dos Atingidos por Barragens se reuniu para definir um plano de ações. A primeira iniciativa será promover vistorias em quatro das barragens apontadas como de maior risco.

A reunião contou com a presença do coordenador da frente, deputado Fabiano da Luz (PT), representantes de órgãos públicos e da sociedade civil organizada, que sugeriram alterações no projeto da reforma administrativa do governo do estado, visando melhorar a segurança das barragens.

Além disso, o colegiado também debateu os encaminhamentos da audiência pública realizada no início do mês e definiu que as barragens apontadas como de maior risco, de José Boiteux, Foz de Chapecó, São Roque e a possível construção de uma barragem em Anitápolis, serão vistoriadas.

“Uma das etapas que nós queremos cumprir já de imediato é fazer uma vistoria naquelas barragens que foram apontadas como chamando atenção para um possível dano, rompimento, enfim, que é de José Boiteux, que segundo relato da Defesa Civil chama muito atenção e precisamos ir lá pra verificar, a de São Roque na mesma situação, a Foz do chapecó que está em obras de melhoria, apenas verificar quais são essas obras de melhoria, e uma possível construção de uma barragem em Anitápolis, que é uma fosfateira aos moldes do que são as barragens de Minas Gerais,
que teria um pé direito de 85 metros de altura, que justamente pode se tornar algo muito sério para Santa Catarina. Então essa é a primeira etapa de visitas que nós vamos fazer justamente nessas barragens que apresentam alguma atenção diferenciada”, afirmou Fabiano da Luz.

O cronograma de visitas ainda será definido nas próximas reuniões da Frente Parlamentar.

Fonte: Agência AL