No começo da nova legislatura, em 2017, o vereador Alexandre Resende Pereira, de Araranguá, foi afastado da Câmara de Vereadores por conta de dois processos de autoria do Ministério Público Eleitoral que apuravam o abuso de poder econômico durante a campanha de 2016 e a troca de combustível por apoio político, ou seja, compra de votos. Além da cassação do mandato na justiça eleitoral, um processo criminal também foi aberto.

Ambos os procedimentos são ilícitos, mas na última semana após um longo período, Alexandre Pereira foi absolvido de um dos processos. “O meu cliente foi absolvido de um processo que criminalizava ele e a sua esposa em segunda instancia por compra de votos e não do trâmite eleitoral”, pontuou o advogado Marcus Pizzolo.

Com a absolvição deste processo criminal, a não condenação pelo outro inquérito fica mais próximo. “Não temos previsão para o julgamento da cassação do Alexandre, mas com certeza a absolvição neste projeto criminal nos auxilia em comprovar a inocência do legislador”.

De acordo com a defesa, há recursos nas instâncias competentes. “Temos um recurso importante, que solicita que ele volte a ocupar uma cadeira na câmara até que se esgotem as chances de absolvição”, contou.