Diferente de outros mandatos quando diárias eram concedidas aos vereadores sem um limite determinado e chegavam a somar altos dígitos no final do ano, neste primeiro semestre de 2017, a Câmara de Vereadores de Araranguá zerou a concessão do benefício e encerra o período sem despesas neste sentido.

De acordo com o presidente da Casa, Daniel Viriato Afonso (PP), a medida é apenas uma das várias que foram adotadas para gerar economia nas despesas do Legislativo. “No início do ano, sentei com os vereadores e informei que precisaríamos economizar em vários sentidos e um deles seria a concessão de diárias. Havia se criado um hábito de ter a diária como uma renda complementar ao salário e, na verdade, sua finalidade não é essa”, destaca.

Além das diárias, quando se deslocavam para outros municípios, os vereadores ainda tinham outros ressarcimentos como gastos com combustível e passagem de avião, o que elevava ainda mais o valor das despesas. Agora, sem o benefício, os vereadores buscam alternativas para se deslocar, priorizando as viagens e eventos mais importantes. “Com esta medida, os vereadores passaram a selecionar melhor suas viagens, indo a lugares que realmente são necessários e em reuniões que podem, de fato, trazer retorno ao município”, explica.

Mesmo sem o benefício, os vereadores araranguaenses mantiveram seu trabalho na busca de emendas, por exemplo. Somente neste ano, foram captados mais de R$ 1 milhão nestes primeiros seis meses do ano. “Acho importante divulgarmos isto, pois mostra que é possível mudarmos alguns hábitos e mesmo assim, manter a qualidade de nosso trabalho. Aproveito para parabenizar a todos os vereadores, que acataram a medida imposta pela Casa e nem por isso, deixaram de buscar melhorias ao município. É este caminho que devemos seguir”, ressalta o presidente.

Outras medidas

O corte na concessão de diárias foi apenas uma das medidas tomadas pela atual mesa diretora na tentativa de economizar dinheiro público. Despesas extras com cópias de projetos, combustível e vantagens de funcionários, por exemplo, também foram cortadas. Com todos estas medidas, somente neste primeiro semestre foram economizados R$ 670 mil e a expectativa do presidente, é de que até o final do ano, este valor ultrapasse a casa do R$ 1 milhão.

Os R$ 670 mil já economizados foram destinados ao projeto Câmara Solidária, que em suas duas primeiras etapas destinou R$ 200 mil à secretaria de Saúde, por meio do Mutirão de Exames e R$ 70 mil à secretaria de Assistência Social, com a destinação de recursos a cinco entidades do município.

Na segunda-feira, 10, ocorre a terceira etapa do projeto que será voltada à área de Segurança Pública, com a destinação de R$ 400 mil à compra de uma ambulância para o Corpo de Bombeiros e duas viaturas, sendo uma para a Polícia Civil e uma para Polícia Militar. “Até o final do ano devemos realizar outras etapas da Câmara Solidária e, ainda, realizar algumas melhorias estruturais ao prédio do Legislativo, além de investir em uma área para estacionamento”, finaliza Daniel.