Os últimos cinco anos foram marcados por constantes turbulências e momentos conturbados no cenário político do Brasil que está recém emergindo de um impeachment e inesgotáveis desdobramentos da Operação Lava-Jato. Mas apesar da crise política, os partidos políticos de Santa Catarina ganharam 37 mil filiados. Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e contabilizados de janeiro de 2016 a abril deste ano. São em média 2,3 mil novas filiações por mês. Na região, o Jornal W3 realizou um levantamento exclusivo e mostra a evolução do eleitorado nos cinco maiores colégios eleitorais do Vale do Araranguá em relação ao mesmo período do ano passado. O total foi um acréscimo de 269 eleitores em relação ao mesmo período de 2016, enquanto que 21 pessoas pediram desfiliação das siglas nestas cinco localidades.

Por aqui, segundo os números oficiais do Tribunal Superior Eleitoral, houve aumento no número de filiados em três das cinco mais populosas cidades da região. Araranguá, Sombrio e Balneário Arroio do Silva registraram pequeno acréscimo de filiados a partidos políticos, enquanto que em Turvo e Jacinto Machado os eleitores quiseram deixar as siglas partidárias, mas ainda de maneira tímida. (Veja quadro com os números).

Os três partidos políticos com maior número de filiados nas cinco maiores e mais populosas cidades do Vale são PMDB, PP, e DEM, respectivamente. Balneário Arroio do Silva registrou maior aumento de filiados, somando 115 novos partidários enquanto que Jacinto Machado foi a que registrou maior queda, com déficit de 20 filiados.

Caption

Autoridades políticas avaliam

O vice-prefeito de Araranguá, Primo Menegalli Junior é um dos políticos que representa a nova geração. Filiado ao PR, um dos partidos que mais cresceu no estado, ele classifica o aumento como baixo diante do contingente eleitoral. “Não vejo este aumento como expressivo. O fato é que estamos em um momento de descredibilidade da política brasileira de uma forma geral. Também recém saímos de um pleito eleitoral, o que poderia justificar esse pequeno aumento no número de filiações” conta.

Caption

O presidente da Câmara de Vereadores de Araranguá, Daniel Viriato Afonso já considera que apesar do aumento ser pequeno é significativo e isso se deve ao trabalho dos diretórios partidários. “Recebi a notícia com surpresa, mas acho interessante o crescimento porque demonstra maior interesse da população em querer participar dos processos democráticos de escolha dos seus representantes. Creio que esse aumento tem relação com o trabalho local de cada diretório” explicou.

DADOS ESTADUAIS

Entre as 10 legendas mais robustas do Estado, o maior crescimento foi do PSD, que ganhou 7,8 mil filiados no período. O PR foi o segundo nas escolhas dos eleitores por um partido político, com a adesão de 4,3 mil eleitores. O PSDB aparece em seguida, com 3,6 mil filiações. No topo das legendas catarinenses que tiveram menos adesões está o PT. Com a perda de 248 filiados, o Partido dos Trabalhadores teve a maior baixa nos 16 meses analisados.

Caption