A Associação Empresarial de Araranguá e Extremo Sul Catarinense – ACIVA, manifesta contrariedade a greve geral, que ocorrerá no próximo dia 28. O motivo é que as reformas, segundo a entidade, são necessárias para que a economia do Brasil entre novamente nos trilhos e com isso, se preserve e se crie novos empregos.

Confira na integra a nota da ACIVA.

Muito se fala na crise econômica, nos mais de 13 milhões de desempregados e nas empresas, que diariamente fecham as portas, mas nem todos querem apoiar medidas que possam fazer o país voltar aos trilhos. E como uma entidade empresarial, a Aciva repudia atos que visam somente defender interesses particulares em um momento que o Brasil precisa de união para voltar a crescer.

E com algumas entidades promovendo uma paralisação nesta sexta-feira, dia 28, se cria no país uma desinformação à cerca da reforma, quando estas entidades falam em retirada de direitos, mas não estão falando de como a reforma é importante para a criação de empregos.

Apesar de sermos uma associação empresarial, antes de tudo também somos trabalhadores, e de forma alguma somos contra os direitos trabalhistas. E com a reforma, não somente ficará garantido os direitos dos trabalhadores, como ela também servirá para a retomada da economia e da criação de novos postos de trabalho.

Afinal, a CLT foi criada há mais de 70 anos e já não atende as necessidades do mercado atual. Por isso modernizá-la é de suma importância, e para isso, é necessário que cada categoria não defenda apenas seus interesses individuais, e sim, que se vise a luta por um Brasil moderno, em que todos lutem para que o país volte a se desenvolver e que possamos voltar a ter investimentos de longo prazo com novas oportunidades para todos, sem corrupção e com muito trabalho. Pois nossa força é feita daqueles que se dedicam a produzir, oferecer emprego e contribuir para o país.