A administração municipal de Maracajá está convocando a comunidade para duas audiências públicas, que serão realizadas na próxima semana. A primeira delas será para prestação de contas das receitas e despesas da Prefeitura de Maracajá referentes aos meses de janeiro e fevereiro e a outra é para discutir mudanças no projeto de pavimentação da Rodovia Jacob Westrup, entre Maracajá e Forquilhinha.

A prestação de contas das receitas e despesas da prefeitura será realizada na quarta-feira da semana que vem, dia 29, a partir das 19h, no Centro de Convivência da Terceira idade. "Todas os números estarão a disposição da comunidade; vamos mostrar de forma didática e para que todos entendam quais foram as entradas de receitas e as despesas pagas, inclusive com as notas de cada pagamento feito", explica o prefeito Arlindo Rocha.

O debate sobre a proposta de mudanças no projeto de pavimentação asfáltica da Rodovia Jacob Westrup está programada para 19h de quinta-feira, dia 30, no salão de festas da capela São Francisco de Assis, na comunidade de Sangão Madalena. O projeto elaborado por empresa contratada pelo governo do estado estima um custo superior a R$ 15 milhões para conclusão dos 8 quilômetros que ainda não foram pavimentados.

"É possível reduzir este custo total, que inviabiliza a obra, para algo em torno de R$ 10 milhões", afirma Arlindo Rocha, que tem proposta para alterar o trajeto, reduzindo ainda mais o custo final da obra. "Precisamos discutir estas questões com a comunidade, ouvir as pessoas e a cidade, como um todo, tomar posição para esta obra que representa um novo eixo de desenvolvimento para Maracajá, não apenas na questão econômica, mas turística e culturalmente", diz Arlindo Rocha.

Sobre a audiência pública, o prefeito ressalta "é uma forma inédita, consolidando o caráter público e transparente de todos os nossos atos ". Rocha enfatiza a importância da participação das pessoas neste processo. "Estamos abrindo um novo canal de diálogo e de participação efetiva do cidadão e da cidadã na administração municipal e esperamos que todos venham e contribuam neste processo, afinal somos apenas gestores da vontade popular", finaliza.

A limpeza de bocas-de-lobo, um serviço preventivo essencial para evitar enchentes, que há muito tempo não era realizado, começou a ser feito nesta semana em Maracajá e apresentou surpresas desagradáveis, além de boeiros entupidos com terra e areia. Garrafas plásticas e latas de refrigerante e cerveja, sacolas plásticas, bolas de futebol, frascos de produtos de limpeza são os produtos mais comumente encontrados.

"Constatamos dois casos em que os banheiros e demais dependência das casas estão sendo despejados diretamente na rede de águas pluviais, no centro da cidade", testemunha o secretário Antenor Rocha, informando que medidas legais serão tomadas para que as famílias instalem fossas sépticas em suas propriedades, acabando com o mau cheiro que predomina na região e se respeite ao meio ambiente.

Uma equipe de quatro homens, caminhões e máquinas retroescavadeiras do Departamento de Obras estão envolvidos na operação. "Já fizemos boa parte da região central e estimamos que são necessário mais duas semanas de trabalho para concluirmos esta etapa nas bocas-de-lobo, que captam as águas das chuvas", prevê Antenor .

A fase seguinte da operação para prevenir enchentes é a verificação das condições e serviços necessários das comportas instaladas por volta de 1995, quando o secretário Antenor Rocha era prefeito de Maracajá. As comportas também são equipamentos que exigem permanente manutenção e conservação. Ao todo, segundo ele, existem quase uma dezena destes artefatos, que serão revistos e feita a manutenção adequada.