Balneário Arroio do Silva

Um município jovem, mas cheio de energia para crescer. O Balneário Arroio do Silva, que tem uma orla marítima de tirar o fôlego – é a maior praia do Estado e uma das maiores do país, com 22 Km de extensão – e que completa 21 anos em 29 de dezembro deste ano, traz na alma a vocação para o turismo, a pesca e o comércio.

Se em 2005, ano da emancipação, o município contava com 7.213 habitantes, hoje, a população estimada é de pouco mais de 11.616 habitantes – um avanço populacional de cerca de 65% no período de 21 anos.

Para o município, que possui uma área de 93,742 Km2, e que vem somando cada vez mais moradores, as necessidades infra-estruturais passam a ser prioridade, e com elas, chegam também a urgência em investimentos nas áreas da saúde, educação, saneamento básico, segurança, transportes, cultura e lazer – desafios que vem sendo abraçados pelos prefeitos que têm contribuído para o visível desenvolvimento do maior balneário do Vale do Araranguá.

Grandes avanços...

Durante dois dias da última semana, a reportagem do Jornal W3 percorreu ruas e bairros da cidade buscando saber dos moradores – sobretudo alguns dos 10.333 eleitores cadastrados – o que o Arroio tem de melhor e o que ainda precisa ser transformado.

Foram abordados dez eleitores, com idades entre 17 e 55 anos, todos moradores do Balneário. Para a grande maioria, em poucos anos, o município evoluiu muito em termos de obras, sendo que as construções do ginásio de esportes, capela mortuária, revitalização da praça central, escolas municipais e postos de saúde foram as mais lembradas. A pavimentação, principalmente na área central, foi muito elogiada, assim como o calendário de eventos, considerado diversificado por oito dos entrevistados, foi destacado. Houve também quem lembrasse em melhorias no serviço de coleta do lixo e no atendimento médico, que segundo a maioria, tem melhorado consideravelmente.

Muitos desafios...

Apesar dos avanços, os eleitores apontam também muitas coisas a serem melhoradas no município. Confira os principais reivindicações da comunidade, e que representam os principais desafios para o próximo prefeito que estará frente à prefeitura do Balneário Arroio do Silva pelo período de 2017-2020.

João Batista de Freitas

PAVIMENTAÇÃO – Há 14 anos vivendo no Arroio e há 12 mantendo um mercado em Areias Brancas, no lado Norte, João Batista de Freitas, 51, diz que vem lutando pela pavimentação em uma das vias que passam diante de seu comércio, que segundo ele, enche as prateleiras onde expõe os produtos para venda de poeira. Por causa disso, ele e os sete funcionários precisam limpar todo o estabelecimento – desde a vitrine, até as paredes e os produtos expostos – pelo menos duas vezes por semana: “O pó aqui é complicado, e não só aqui, as estradas estão muito ruins na Meta, no Erechim e aqui em Areias Brancas. Tem que melhorar”, afirma.

Paula Chaiana da Rosa Neto Leite

TRANSPORTE PÚBLICO – Há três anos no Arroio, a moradora da Praia dos Golfinhos, no lado Sul, Paula Chaiana da Rosa Neto Leite, 22, diz que gosta da cidade, mas reclama que o transporte coletivo urbano não funciona bem quando se trata de ir para o bairro onde vive: “Não tem ônibus suficiente, e é preciso esperar muito tempo para usar o transporte. O centro tá ótimo, mas pro lado dos Golfinhos, a situação é bem ruim. Precisamos de um transporte de qualidade”, justifica.

Reginaldo Antunes Correa

SEGURANÇA – Proprietário de três panificadoras, Reginaldo Antunes Correa, 43, que mantém os comércios há 15 anos e vive no Arroio há seis, diz que tem dificuldades com a segurança. Vítima de assalto armado por cinco vezes – duas em um intervalo de 15 dias, num dos estabelecimentos localizados há menos de 300 metros do posto da Polícia Militar – ele diz que fez o que pode para garantir a segurança em seus estabelecimentos, com a instalação de câmeras, alarmes e outras ferramentas. No último assalto, no dia 25 de julho, ele perdeu uma das melhores funcionárias, que trabalhou com ele por quatro anos e foi vítima de assalto por três ocasiões: “Ela ficou traumatizada”, conta o comerciante, que diz que agora, as três padarias fecham as portas às 19h: “A partir deste horário, atendemos pela grade”, lamenta.

Mateus e Juliene

BUROCRACIA NA SAÚDE – A moradora do Jardim Atlântico, Juliene Rezena, 17 e seu colega Mateus de Freitas Pires, 17, que mora no centro, estarão no dia 02 de outubro, exercendo o direito ao voto pela primeira vez. Para os dois, um dos maiores problemas no Arroio tem sido as dificuldades que passam para conseguir agendar consultas com o dentista do posto de saúde e retirar a medicação do pai de Juliene sem burocracia. Mateus conta que um amigo vem tentando consultar o dentista há algum tempo, mas sempre volta frustrado: “Ele chega às 6h, pega a fila, e quando chega a vez dele, não tem mais fichas”, alega. Já Juliene diz que apesar do pai nunca ter ficado sem os remédios, a mãe sempre passa pelo que a adolescente considera uma “odisseia” para conseguir o intento: “É muita burocracia”, critica.

CT Bernadete, Fabiano e Tatiana

CONSELHO TUTELAR – Uma verdadeira vitrine – esta é a impressão dos cinco Conselheiros Tutelares que atuam no Balneário, com relação às instalações físicas do órgão de proteção ao menor. Localizada na esquina das avenidas Florianópolis com a Santa Catarina, o espaço, que tem portas de vidro, carece da discrição fundamental ao órgão, que recebe menores em situação de risco, pessoas interessadas em denunciar maus tratos e muitos pais indignados com as ações do Conselho: “Esta é a parte pior”, argumenta a CT Bernadete, que atua no Conselho há 14 anos, e que sofreu violência por parte de alguns pais raivosos diversas vezes ao longo de sua atuação. Os conselheiros Tatiana e Fabiano concordam com a colega, e dizem que hoje o CT do Arroio atende cerca de 20 casos por semana, uma demanda ainda maior que Araranguá – município com um número populacional sete vezes maior que o Arroio. Para eles, a sala, que está locada há 1,5 ano, não é adequada para as atividades: “Aqui corremos risco”, alerta Bernadete.

Sandro Robson Fernandes

MÚSICA LOCAL – Faz bastante tempo que o morador do bairro Erechim, Sandro Robson Fernandes, 44, faz da música sua sobrevivência. Amante da música, ele diz que tem prazer em exercer o ofício, mas acha que as administrações vêm desvalorizando os músicos da terra: “Vem muito show de fora, e o pessoal daqui é deixado de lado”, reclama. Para ele, não há problema em trazer atrações externas, mas o talento local precisa ser melhor valorizado, com cachê e estrutura similar tanto para os talentos de fora quanto para quem produz a música loca.

Maria Dercy Gonçalves

EVENTOS DE INVERNO – “Temos a Festa do Peixe, a Semana Farroupinha, e só. E o resto do inverno, como fica?”, pergunta a moradora do centro, Maria Dercy Gonçalves, 55, que vive no Arroio desde 2013. Para ela, se houvesse mais investimentos em eventos diurnos e noturnos pelo menos nos finais de semana durante o inverno, o Arroio seria mais atrativo para turistas também fora da temporada de verão: “Seria uma injeção de energia para o comerciante que quer estar de portas abertas o ano inteiro”, destaca.

Balneário Arroio do Silva

Ficha técnica
População: 11.616 habitantes
Eleitores: 10. 333 aptos a votar

Candidatos:

ARROIO NO RUMO CERTO – 55 – Juscelino da Silva Guimarães – Mineiro da Farmácia – PSD
Vice: Carlos Augusto Scarsanella – PSD
Coligação: PRB / PTB / PR / PPS / PSDB / PRP / PSD

UM ARROIO PARA TODOS – 11 - Fernando Luis Borges – PP
Vice: Vera Maria da Silva Victor – PMDB
Coligação: PP / PMDB / PC do B / SD / PSB / PDT / DEM / PT / PV