Dirce Costa Gonçalves; Graziela Cristina Luiz Damacena Gabriel; Jucelia Vargas Vieira de Jesus; Maria Mota dos Santos; e Priscila Leonor. Essas foram as cinco mulheres homenageadas na Sessão Especial que o Legislativo fez na noite de hoje (27/7) pelo Dia da Mulher Afro-Latino – Americana e Caribenha. A proposta foi o vereador André de Luca (PP), e aprovada por unanimidade.

Jucelia Vargas Vieira de Jesus falou em nome de todas as homenageadas e enfatizou que são datas como esta em que “nós queremos dizer à população da nossa cidade de que às mulheres negras tem uma história de luta, de organização, e de resistência. Essa população contribuiu e contribui muito para a história da economia do nosso país”, disse, lembrando ainda que há ainda muito a avançar, e ainda por um mundo de igualdade. “Não é possível transformar uma sociedade se não dermos as mãos”, enfatizou.

Maria Estela Costa, coordenadora da Coordenadoria da Promoção Igualdade Racial do Município de Criciúma (Copirc), salientou que esse é um momento de extrema importância, mas lamentou a dificuldade da mulher negra no dia a dia. Ela ainda lembrou a criação da Copirc e do trabalho a ser desenvolvido pela frente.

O Dia da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha foi criado em 25 de julho de 1992, durante o I Encontro de Mulheres Afro-Latino-Americanas e Afro-caribenhas, em Santo Domingos, República Dominicana. Estipulou-se que este dia seria o marco internacional da luta e da resistência da mulher negra.

O objetivo da comemoração é ampliar e fortalecer as organizações de mulheres negras do Estado, construir estratégias para a inserção de temáticas voltadas para o enfrentamento ao racismo, discriminação, preconceito e demais desigualdades raciais e sociais. É um dia para ampliar parcerias, dar visibilidade à luta, às ações, promoção, valorização e debate sobre a identidade da mulher negra brasileira. É, também, um momento para fortalecer a organização e mostrar às lutas, às ações, promoção, valorização e debate sobre a identidade da mulher negra brasileira.

Conheça cada uma:

Dirce Costa Gonçalves é enfermeira aposentada do serviço público federal. Atualmente presta relevantes serviços para a comunidade negra, é sindicalista do Sindprevs e estende seus trabalhos à sociedade em geral.

Graziela Cristina Luiz Damacena Gabriel é graduada em direito, pós-graduação pela escola Superior da Magistratura do Estado de Santa Catarina, presidente da Associação Catarinense dos Conselheiros Tutelares – região Amrec, e presidente da Famcri.

Jucelia Vargas Vieira de Jesus é professora, presidente do sindicato dos servidores públicos de Criciúma – Siserp. Militante ativa do movimento negro.

Maria Mota dos Santos é aposentada, escolhedeira de carvão nas minas a céu aberto, empregada doméstica. É também grande líder comunitária, e participou da construção do centro Comunitário do Bairro São José e ajudou na implantação da Pastoral da Criança daquela comunidade.

Priscila Leonor é proprietária de uma escola de artes em Criciúma, que desenvolve trabalhos resgatando a história do povo negro, através da arte.

Fonte: Daniela Savi - Assessoria de Imprensa – Câmara de Vereadores de Criciúma