Foi realizada na tarde dessa terça-feira, 30, a cerimônia de lançamento do projeto “Rede Catarina de Proteção à Mulher”. O evento ocorreu no salão do júri do fórum do município de Turvo. Representantes do Poder Judiciário, Policia Civil, Policia Militar e da sociedade civil organizada estiveram presentes.

Na oportunidade a PM apresentou o programa “Patrulha Marinha da Penha”, que teve origem na Brigada Militar no Estado do Rio Grande do Sul. Em 2017 Santa Catarina implantou na cidade de Chapecó e depois estendeu para as demais cidades catarinenses.

De acordo com a PM, a patrulha terá uma guarnição composta por policiais militares masculinos e, pelo menos uma feminina, que após passarem por instruções, farão trabalhos de prevenção e fiscalização como forma de proteger as mulheres.

O trabalho funcionará de forma integrada com o Poder Judiciário, isto é, as medidas protetivas serão encaminhadas à Polícia Militar, que entrará em contato com a mulher vítima da violência.

Em seguida, a guarnição fará visitas surpresas à mulher, para verificar se o agressor está cumprindo a medida. Caso for realizada qualquer ameaça contra a mulher, ou se o homem desrespeitar a ordem judicial, um boletim de ocorrência será confeccionado.

A cidade de Turvo é terceira do Extremo Sul Catarinense a implantar o combate a violência doméstica, sobretudo contra as mulheres.

“A ‘Patrulha Marinha da Penha’, é um projeto institucional da Polícia Militar de Santa Catarina e está dentro do portifólio de programas preventivos da corporação e tem como objetivo principal combater a violência doméstica. Atende tanto as vítimas, que são mulheres, quanto os autores da violência”, explicou o Comandante do 19º BPM, Tenente Coronel Maike Adriano Valgas.

Para implantação e eficiência do programa de combate a violência contra a mulher, é de suma importância a soma de forças de organismos de Estado bem como da sociedade civil.

“O Poder Judiciário é um grande interessado em que esse projeto de certo e que a sociedade possa colher bons frutos, talvez até curto médio espaço de tempo no sentido de diminuição dos casos de violência doméstica em Turvo”, afirmou o Juiz da comarca de Turvo, Dr. Manoel Donizete de Souza.