O sol intenso e as altas temperaturas do verão exigem cuidados especiais com a saúde. No caso dos idosos a atenção deve ser maior. Segundo a doutora Helena Demétrio do Serviço de Atendimento Domiciliar, SAD, da Secretaria Municipal de Saúde de Araranguá, conforme passa a idade, o centro de temperatura corporal diminui. “Acabam não sentindo, tanta sede, quanto calor, e com isto cresce o risco de desidratação e hipertermia”, explicou.

Outra situação que requer maior atenção nesta fase da vida é a língua e os lábios secos e a diminuição da urina. Por isso é importante o consumo de líquidos, em média de dois litros por dia, com exceção dos idosos que estão sob cuidados médicos com o quadro de insuficiência cardíaca ou renal.

“Como eles não têm sede, os familiares ou cuidadores, devem incentivar o consumo de água, usar roupas leves e dar preferência aos ambientes arejados”, destaca a profissional. Outro cuidado importante é quanto a alimentação que deve ser adequada para esta época do ano, além das frutas e verduras.

Os idosos também devem evitar a exposição ao Sol entre 10h e 16h e em caso de exposição, devem usar filtro solar com reaplicação a cada duas horas, além dos bonés e chapéus. “É importante também os responsáveis ficarem atentos aos sinais de desidratação mais comuns como: tontura, dor de cabeça, mal-estar geral e sinais de hipertensão como náuseas e vômitos”, frisa Helena.

Caso surjam alguns destes sinais o idoso deve ser colocado num lugar arejado e ofertar líquidos. Caso não haja melhora os familiares, ou cuidadores, devem procurar o médico mais próximo.

Fonte: Assessoria de Comunicação Prefeitura de Araranguá