Tomaram posse na tarde da última quinta-feira, 20, o vice-prefeito, Primo Júnior como presidente, professor da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) Paulo César Esteves como 1º vice-presidente, Alberto Sasso de Sá da Aciva como 2º vice-presidente, 1º secretário, Araceli de Oliveira, da Unisul e 2º secretário, Jair Anastácio, da Câmara Municipal de Vereadores.

A eleição, juntamente a posse, foi realizada no auditório da Unisul, reunindo a chapa eleita e demais conselheiros. Segundo o vice-prefeito e presidente do Conselho Municipal de Inovação e Tecnologia, Primo Júnior, o convite surgiu através do prefeito, Mariano Mazzuco Neto. “O prefeito me pediu que estivesse a frente desse projeto como membro do poder executivo municipal”, contou.

Primo Júnior também explica que esse é um projeto que já vinha da gestão anterior. “Entendemos que deveríamos dar seguimento a esse projeto, que eu penso ser muito importante para a nossa cidade e economia. Falamos muito na geração de empregos e renda, a dar incentivos e trazer empresas para cá, usamos então como exemplo Florianópolis, que já faz grande sucesso no campo da inovação e tecnologia. Estamos então querendo dar nossos primeiros passos aqui, já que estamos num momento propício a isso, onde temos muitas fontes geradoras de conhecimento que devem ser aproveitadas aqui no nosso município”, afirmou.

Para ele, esse projeto não é somente mais um projeto, mas a ideia é que seja uma fonte de riquezas para o araranguaense. “A lei foi aprovada na gestão anterior, mas fizemos algumas alterações, porém agora com o início dos trabalhos, precisaremos adaptar mais algumas coisas a nossa realidade. Nosso objetivo com a incubadora não é de ser apenas uma extensão de um projeto acadêmico, mas que virem empresas competitivas no mercado”, ressaltou.

O professor Paulo César Esteves e 1º vice-presidente, alega que no Estado de Santa Catarina, somente seis têm Conselho de Inovação. “Nós somos um deles. Criciúma, estão montando agora. A lei é importante porque ela dá apoio institucional a ações em parceria do Governo com as instituições de ensino, com as empresas, oportunizando que o Governo, que tem suas necessidades processuais, possa estar participando diretamente”, comentou.

Já o secretário de Planejamento, Fernando Serrano, falou sobre a importância dessa parceria. “As Universidades têm o dever de ensinar através de pesquisas e a Incubadora vai poder alinhar esse trabalho da sociedade, empresários, podendo começar a definir o nosso polo e acredito que a educação vai fomentar pra que isso aconteça. Não só com o pós faculdade, mas criando novas empresas que podem ser marcas de sucesso no futuro”, disse.

A primeira reunião do Conselho eleito ficou agendada para o dia 24, às 17h30.