É mais um dia comum no canteiro de obras do Infinity Business & Residence, um futurista empreendimento que está sendo erguido pela Construtora Camilo & Ghisi na Avenida XV de Novembro, no Centro de Araranguá. Dois caminhões de tijolos estacionam em frente ao local para entregar nova carga de material à obra. Os mais de 10 mil tijolos são descarregados e já distribuídos nos quatro pavimentos da construção. Tudo é feito em apenas duas horas com o auxílio de uma imponente grua que alcança altitude superior a 50 metros de altura. Trata-se de um equipamento importado da China, versátil, que garante a elevação e movimentação de cargas com facilidade. Segundo o engenheiro responsável pela obra, Odilon Coral Pietsch, o trabalho que hoje é feito em poucas horas com o auxílio do equipamento, dependeria da utilização de cinco homens e precisaria cinco dias para ser concluído. “Graças à tecnologia que temos em todos os canteiros de obras da Camilo & Ghisi, é possível acelerar a construção, ter avanços na qualidade e ainda driblar uma das principais dificuldades do setor que é a mão de obra qualificada” explica o engenheiro que há 10 anos trabalha na empresa.

A realidade estampada por Odilon é retratada em uma recente pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O problema da escassez de mão de obra afeta 69% das empresas desse segmento. “Isso está forçando as construtoras a investirem na mecanização e automação dos canteiros, como forma de aumentar a produtividade” afirma Pietsch.

Na lista de benefícios, o fator mais apontado está o aumento de produtividade, seguido de mais segurança e maior qualidade na obra.

Agilidade na construção

Gruas, guindastes e elevadores são alguns dos equipamentos disponíveis na construção de prédios da Construtora que investe pesado na área de tecnologia e inovação, na medida em que avançam a padronização, a pré-montagem e a manipulação de peças cada vez maiores e mais pesadas (pallets, pré-moldados, pré-montados etc.).

A mecanização segundo Leandro Camilo, sócio proprietário da empresa, ocorre principalmente em substituição ao trabalho braçal duro ou potencialmente perigoso, como nas atividades em altura, transporte e preparação de matérias-primas. A solução agrega ainda redução do desperdício de materiais de apoio e insumos, com aumento da produtividade e qualidade.

Além da grua, a empresa possui miniescavadeiras, minicarregadeiras, empilhadeiras, telehandlers, bem como a paletização de todos os insumos, elevadores de carga, cremalheiras e guindastes.

Central de concreto importada

Imagine um equipamento capaz de produzir concreto no próprio canteiro de obras, com a qualidade e a precisão na dosagem típicas de uma usina misturadora. Esse equipamento existe e está disponível em todas as obras da Camilo & Ghisi. Trata-se de centrais móveis de concreto de origem italiana Bertoli, que estão sendo comercializadas no Brasil pela própria construtora, representante exclusiva no país.

De acordo com o engenheiro Odilon Coral, elas possibilitam a produção de concreto mesmo em canteiros com pouco espaço, com ganhos de logística e de produtividade para a construtora. “Esse equipamento traz ganhos incríveis em produtividade e possui grande eficiência na redução de desperdício de materiais” finaliza.

Fonte: Fotos: Robert Dias