Você já foi criança um dia. E, certamente, já escreveu uma cartinha para o Papai Noel dizendo que se comportou muito bem, passou de ano na escola, não brigou com os seus pais para, assim, convencer o "bom velhinho" de que você merecesse que aquele presente tão desejado estivesse na árvore de Natal na madrugada do dia 24 para o 25 de dezembro.

Certo? Mas nem todas as crianças - inclusive da sua época - de fato, chegam a ganhar um presente. E os motivos são inúmeros. Nossa reportagem resolveu fuçar na caixinha de Correio do Bom Velhinho e descobriu que a verdadeira "magia do Natal", ainda está contida na grande maioria das crianças. “Apesar da força publicitária que estimula o consumismo, há muitas crianças pedindo paz, amor dentro dos lares e coisas básicas como alimentação” conta Papai Noel, que todos os dias, na época de Natal, marca presença ao lado da Mamãe Noel, na casa construída especialmente para os dois e sediada no Calçadão de Araranguá.

Os personagens são interpretados pelos atores Edson Rogério de 57 anos e a esposa Isabel Cristina, de 58. Há 20 anos o casal que veio de Curitiba-PR, veste não apenas o figurino, mas encarna também os personagens mais famosos do Natal. “A gente tenta mostrar para as crianças que existe uma magia verdadeira na data e que mais importante que os presentes são os sentimentos fraternos que carregamos dentro de nós, mas impossível não ficar emocionado quando lemos nas cartinhas pedidos como o de um menino de sete anos que sonhava ganhar uma cesta de alimentos para a família, uma panela de pressão para dar à mãe pois ele adora feijão e uma casinha para que o cachorro não dormisse na chuva. Para ele o menino pediu apenas a felicidade da família. Quando lemos foi difícil segurar a emoção” revela Papai Noel que se orgulha de ter encontrado um padrinho para atender o pedido do menino.

Acontece que pedidos assim, emocionantes, não são raros. Em uma das cartinhas, um menino chamado João Gabriel chegou a listar dez itens para facilitar a vida de Papai Noel. Larissa Nunes pediu apenas alimentos e uma caixa de chocolate, já Cauã Neves, de 7 anos, no bairro Barranca pediu um tênis de futsal. São dezenas de pedidos que chegam todos os dias e eles são encaminhados à coordenação do Natal Verão, que se encarrega de juntar as cartinhas e destinar à quem deseja contribuir.

Crianças tecnológicas

Mas se os tempos são outros, na era da tecnologia, os pedidos da maioria dos baixinhos são por eletrônicos. Jogos, games, tablets e aparelhos smartphone dominam a lista de solicitações a Papai-Noel.