Ciclo de palestras organizado pelo Lions Club Araranguá é a esperança para ampliar a conscientização sobre a importância do gesto que pode salvar muitas vidas e aumentar o estoque de sangue no Hemosc. Entidade vem sofrendo com a queda no número de doadores

Quando se fala em doação de sangue muita gente reage com medo, simplesmente devido a uma agulha, até chegam passar mal. Por esse e outros tantos motivos e até alguns mitos, a doação de sangue não é vista com bons olhos, comprometendo o abastecimento de sangue nos hemocentros.

Nos países do primeiro mundo como Estados Unidos, Japão e Europa, a sociedade é acostumada a doar sangue, pois passaram por guerras, onde a necessidade de sangue era muito grande. No Brasil ainda falta amadurecimento, conhecimento e até sensibilização, pois um gesto simples pode salvar muitas vidas.

É justamente com o objetivo de mudar este cenário e derrubar mitos que o Lions Clube Araranguá Centro em parceria com o Hemocentro Regional de Criciúma, resolveu encabeçar uma mega campanha de conscientização nas instituições de ensino.

O objetivo segundo Bella Matos Casteller, que integra a comissão de saúde do Lions, é levar informação e conhecimento aos estudantes para alertar sobre a importância do gesto e aumentar a arrecadação de sangue que tem caído a cada novo ano. “Percebemos a necessidade de conscientizar as pessoas pois estamos assistindo a diminuição do número de doadores, o que preocupa não apenas quem precisa de sangue mas todo setor de saúde da região que vem sofrendo com o baixo estoque no Hemocentro,” revelou.

O segundo encontro que faz parte da campanha, ocorreu na tarde desta quarta-feira, dia 28, no Instituto Federal Santa Catarina-IFSC. Mais de 200 estudantes participaram da palestra ministrada por uma especialista do Hemosc. Rosinete dos Santos, que atua no setor de captação, trouxe na bagagem informações importantes e dados alarmantes como o fato de apenas 1,8% da população brasileira doar sangue. A Organização das Nações Unidas- ONU considera ideal entre 3% a 5%.

Hemosc precisa de sangue

A profissional de saúde revelou ainda que as doações diminuíram no Hemocentro Regional de Criciúma e alguns tipos de sangue já chegaram a faltar no estoque. A campanha nas escolas visa evitar que pacientes que dependam de sangue passem por este sufoco. “Doar sangue é um gesto que salva vidas, não prejudica a saúde pois em seguida o sangue é reposto pelo próprio organismo e ainda é 100% seguro. Não existe nenhum risco de contrair algum tipo de doença ao doar sangue,” explicou Rose.

A profissional também esclareceu dúvidas e repassou informações importantes (veja abaixo), sobre como funciona as doações. Quem estava na plateia ouviu tudo com muita atenção e saiu do auditório encorajado à doar e repassar adiante as informações que neste caso podem salvar muitas vidas.

O professor Israel Muller dos Santos, 23 anos, julga importante esse tipo de iniciativa. “Palestras como esta ampliam o conhecimento sobre ao assunto, é importante porque cria uma consciência responsável nos expectadores e ainda auxilia no aprofundamento de ideais servindo também para quebrar mitos, tabus e até preconceitos em relação ao assunto. Sou doador de sangue e saio daqui motivado a doar regularmente,” explicou.

SAIBA MAIS SOBRE DOAÇÃO DE SANGUE

O que é?

A doação é a retirada de aproximadamente 450 ml de sangue, através de inserção de uma agulha em um dos braços.

A coleta é feita por pessoal capacitado e sob supervisão de um médico ou enfermeiro, garantindo o bem estar do doador.

O ambiente deve ser limpo e confortável e o material descartável. Todo o processo da doação de sangue levam em torno de 55 minutos.

Doar sangue não dói, nem prejudica a sua saúde.

 Por que doar sangue?

O sangue é um tecido vivo que circula pelo corpo, essencial à vida.

Todos os dias acontecem centenas de acidentes, cirurgias e queimaduras violentas que exigem transfusão, assim como os portadores de hemofilia, leucemia e anemias.

Além disso, doar sangue é um ato simples, tranquilo e seguro que não provoca risco ou prejuízo à saúde. Se cada pessoa saudável doasse sangue espontaneamente pelo menos duas vezes ao ano, os Hemocentros teriam Hemocomponentes suficiente para atender toda população. O sangue não tem substituto. Por isso a doação espontânea e periódica é fundamental. Uma única doação de sangue pode salvar várias vidas.

Doar sangue é uma atitude necessária, de solidariedade, cidadania e amor.

Lembre-se:

•             Sangue não se fabrica artificialmente;

•             O sangue doado não ultrapassa 10% do volume em circulação no corpo;

•             A quantidade doada é reposta rapidamente;

•             Você só doa novamente se quiser. A doação de sangue não vicia;

•             A doação acontece em ambiente confortável e limpo;

•             O doador é atendido por pessoal capacitado e qualificado para esta função.

 Tipos de doação

O doador pode candidatar-se a doação de três formas:

•             Doação Espontânea: feita de modo altruísta, como uma atitude solidária com um único interesse: ajudar o próximo.

•             Doação vinculada: feita vinculada á algum paciente*.

•             Doação autóloga: doar para si mesmo.

 O que é necessário para doar?

O que é necessário para doar:

•             Ter idade entre 18 e 69 anos, 11 meses e 29 dias;

•             Doadores com idade de 16 e 17 anos de idade, são aceitos para doação mediante a presença e autorização formal dos pais e/ou responsável legal;

•             O limite de idade para primeira doação é de 60 anos;

•             O candidato à doação deve estar em boas condições de saúde, sem feridas ou machucados no corpo;

•             Pesar acima de 50 kg (com desconto de vestimentas);

•             Apresentar documento de identidade com foto, emitido por órgão oficial: RG., carteira profissional, carteira de motorista, etc.

•             Ter repousado bem na noite antes da doação;

•             Evitar o jejum. Fazer refeições leves e não gordurosas, nas 4 horas que antecedem a doação;

•             Evitar uso de bebidas alcoólicas nas últimas 12 horas;

•             Evitar vir acompanhado com crianças, sem acompanhantes.

 Após a Doação?

•             Não fumar por no mínimo duas horas;

•             Nas 12 horas após a doação, não praticar exercícios físicos e atividades perigosas, como subir em locais altos ou dirigir caminhão, ônibus em rodovias, etc.

•             Permanecer no serviço hemoterápico após a doação por 15 minutos;

•             Não forçar o braço em que foi realizada a punção no dia da doação, para evitar sangramentos e hematomas;

•             Retirar o curativo 4 horas após a doação.

 Intervalo entre as doações:

•             Mulheres: 90 dias/ 03 doações nos últimos 12 meses;

•             Homens: 60 dias/ 04 doações nos últimos 12 meses.

 Não pode doar:

Quem tem ou teve as seguintes doenças:

•             Hepatite após os 11 anos de idade;

•             Lepra (Hanseníase);

•             Hipertireoidismo e tireoidite de Hashimoto;

•             Doença auto-imune;

•             Doença de Chagas;

•             AIDS;

•             Problemas cardíacos (necessita avaliação e declaração do seu cardiologista);

•             Diabetes;

•             Câncer;

Outras situações:

•             Fez ou faz uso de algumas drogas ilícitas nos últimos 12 meses;

•             Mantém relações sexuais de risco;

•             Gestantes ou mulheres que amamentam bebês com menos de 12 meses;

SAIBA ONDE DOAR EM ARARANGUÁ:

05/11/2015 - Araranguá Local: Unidade de Pronto Atendimento (UPA)
Rua João Alves Ouriques. Bairro Cidade Alta
Horário: das 9h às 16h
Distribuição de 80 senhas.