Quem os vê vestidos assim, com suas imponentes fardas e armados até os dentes, nem de longe imagina que por trás do emblema, do distintivo e da figura séria que a profissão exige, há seres humanos solidários, dotados de incrível sensibilidade.

Estamos falando dos policiais que integram o Pelotão de Patrulhamento Tático-PPT, a tropa de elite da Polícia Militar de Araranguá. Treinados para combater o crime e altamente preparados para atender todos os tipos de adversidades, o grupo que realiza um excelente trabalho de policiamento ostensivo na rua e está sempre de prontidão para garantir a segurança da população, resolveu encarar uma missão ainda mais especial.

Há mais de dois meses eles estão envolvidos na organização de uma feijoada solidária que tem por objetivo principal angariar recursos para o tratamento da garotinha sombriense Jennifer Hoffman Martins, de apenas 7 anos, que luta contra a leucemia.

A difícil batalha da criança pela vida, comoveu os integrantes do PPT. Segundo o Comandante do grupo tático, Marcio Davi Gerlach da Silva, depois de conhecer de perto o drama da menina, os policiais não tiveram dúvida que era preciso unir forças. “Nós já tínhamos a intenção de realizar uma iniciativa social que pudesse envolver todos os policiais, pois todos nós particularmente já realizamos algum tipo de obra assistencial. No entanto, queríamos realizar algo que pudesse ser mais abrangente. Quando ficamos sabendo da história de sofrimento da menina Jennifer nos sensibilizamos e todos foram unânimes ao apoiar a iniciativa,” revelou.

Com muita dedicação e empenho o grupo se uniu e foi em busca de parceiros. Cabo Jefferson, que também integra o PPT conta que se surpreendeu com a adesão dos colegas e da população. “Assim que lançamos a ideia já recebemos sinal verde do Comando para preparar o evento a adesão da população foi incrível. Já temos 150 camisetas vendidas e restam apenas 50. Todas as despesas já foram pagas pelos patrocinadores e a renda de aproximadamente R$ 7 mil será revertida integralmente à garotinha,” relata.

Visita emocionante

Há pouco mais de duas semanas, os policiais foram até a casa da pequena Jennifer em Sombrio e descobriram uma menina alegre, que mesmo diante da difícil batalha travada contra a doença, insiste em sorrir. O momento foi marcado pela emoção. Abraços carinhosos selaram uma amizade e retrataram o agradecimento da menina que retribuiu todo os esforço dos policiais demonstrando seu carinho. “Ficamos emocionados. Foi uma visita muito especial. Fica difícil até descrever o que sentimos neste momento,” contam os policiais com os olhos já tomados pelas lágrimas.

Humanos sim!

Não é difícil encontrar pela frente situações em que ao pensar em Polícia, as pessoas já vislumbram um troglodita com o pé na porta, ou o super-homem que prende três Fernandinho 'Beira-mar' com uma mão nas costas. Mas a verdade é que poucos enxergam o humano que está por trás da farda. O humano que transpira, que sente medo, que na hora do embate pensa nos filhos em casa, que sente dor de cabeça, fome e sangra quando atingido pelo inimigo.
São homens e mulheres que deixam seus lares todos os dias na esperança de regressar, e falo de esperança, não de certeza. Seres humanos corajosos que diuturnamente sem esperar recompensas e reconhecimento, travam verdadeiras batalhas sabendo que não lhe é facultado o direito ao erro e, que o preço a pagar por qualquer um que seja, é alto demais. “Algumas pessoas pensam que somos apenas homens fardados prontos para entrar em ação, mas esquecem que por trás da farda há um ser humano. Ainda bem que isso vem mudando aos poucos,” comemora Gerlach.

Ao final da reportagem, uma resposta surpreende. Ao indagarmos o que faz um homem ser um verdadeiro policial militar, de pronto os policiais do PPT definem: “O desejo de garantir os direitos que nos são tomados todos os dias pela violência, pela impunidade e pelo descaso. A vontade de encaminhar à justiça aqueles que matam, roubam, violam e destroem os nossos sonhos e os seus. A busca incessante por uma cultura de paz, termo tão banalizado atualmente, mas que representa a base da missão da Polícia Militar. Esse é o nosso ideal, e por esse motivo que temos o maior orgulho em dizer que somos policiais militares,” enfatizam o policiais que fazem muito além do que garantir a nossa segurança.

Reportagem: Saulo Pithan

Fotos: David Cardoso