A Prefeitura de Araranguá, através da Secretaria de Assistência Social, Polícia Militar e Polícia Civil estão juntas nunca campanha que visa acabar com a doação de esmolas no município. Lançada oficialmente na manhã desta segunda, dia 31, no Gabinete do Prefeito, a campanha “Não dê esmola, dê esperança”, ganha espaço em emissoras de rádio e TV, jornais e outdoors espalhados pela cidade, além da distribuição de panfletos e cartazes. O ato contou com a presença de secretários e diretores municipais, do prefeito Sandro Maciel, subsecretário de Assistência Social, Eduardo Chico Merêncio, do capitão da Polícia Militar, Alberto Cichella, do comandante do 19º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Antônio Carlos Mota Machado, e do delegado regional Ari Soto Riva.

Durante o encontro, o prefeito Sandro Maciel comentou sobre a mudança de hábito da sociedade em relação a décadas atrás, no que se refere a dar esmolas. “Há algum tempo fazer uma boa ação era dar esmola. Mas hoje é diferente. A sociedade mudou a sua concepção porque ela percebeu que os pedintes faziam uso incorreto da esmola que ganhava. Os mecanismos hoje de ajuda são outros e o nosso município dispõe deste auxílio. Por isso, a população deve se conscientizar sobre o tema”, relatou o prefeito..

“Esta parceria com as polícias Militar e Civil vai intensificar nossas ações. Vamos fazer, inclusive, uma força-tarefa à noite. Queremos mostrar à população que dar esmola não é o melhor caminho e que nós dispomos de meios para ajudar as pessoas que precisam de auxílio”, disse o subsecretário Chico Merêncio ao falar sobre do trabalho realizado no Centro Pop.

O capitão da PM, Cichella, reforçou a importância do encaminhamento ao Centro Pop. “A população precisa compreender que ao invés do assistencialismo precisamos fazer ações transformadoras. O correto é justamente encaminhar ao Centro Pop”, contou Cichella. O tenente-coronel Antônio ressalta a importância da campanha. “Esta iniciativa permite orientar a sociedade em como ela deve agir. Nós temos preocupação com as diferentes formas e atos dos pedintes. Por isso, a PM é parceira nestas ações”, comentou o comandante.

O delegado regional de Polícia Civil, Ari Soto Riva, associa a esmola com o aumento da criminalidade. “Tem muita gente vindo de fora da cidade porque sabe que aqui vai receber esmola. E quem está recebendo, em muitos casos, está comprando drogas. Com isso aumenta os delitos de furto e até roubos e assaltos”, ressaltou o delegado também reafirmando a parceria com o município na campanha.

Colaboração: Assessoria de Imprensa prefeitura de Araranguá