Os comerciantes da Rua Antônio Bertoncine, localizada na entrada de Araranguá, sofrem há anos com problemas sociais. Exemplos não faltam: desde o prédio BR Shop, que está abandonado, atraindo mendigos e usuários de drogas, a prostituição, praticada nas esquinas. Tudo isso tem trazido problemas crônicos aquela localidade. A violência é uma delas.

Além deste triste paradigma, outro problema está tirando o sono dos comerciantes do trecho da Rua. O prédio, no qual se localizava o Nego Ivo Caminhões, está sendo alugado para virar uma boate, popularmente conhecida como zona.

“A gente já sofre com esse BR Shop abandonado, que acumula marginais, mendigos e essa rua já tem problemas históricos com prostitutas. E sabemos que a zona atrai tudo de ruim, sendo que aqui é uma região central,” disse o empresário André Borges, que possui um negócio próximo à futura boate.

Os moradores já realizaram um abaixo assinado com mais de 150 assinaturas, e junto dos comerciantes, já procuraram prefeitura e demais órgãos públicos. No entanto, André relata que o novo empreendimento da rua segue a todo vapor.

“Já consultamos polícia, órgãos públicos, vereadores, mas a obra continua e possivelmente vai abrir,” lamentou o empresário.

Vereador formula ofício aos órgãos públicos

O vereador Alexandre Rezende Pereira – PPS formulou ofício solicitando que as autoridades competentes, Primeira Promotoria Pública, Prefeitura Municipal, PM, Corpo de Bombeiros e Polícia Civil, analisem com cautela a concessão de alvará de funcionamento e instalação desta boate.

Alexandre destaca que é a favor da ampliação e também da instalação de novos empreendimentos no município, desde que estes estabelecimentos estejam de acordo com a legislação. “Inúmeros moradores das proximidades me procuraram para que interferisse nessa situação. A informação é de que esta boate poderá causar perturbação do sossego público e insegurança. Ao lado do endereço onde está projetada sua implantação já existe o prédio abandonado do antigo BR Shoping, local que foi invadido por andarilhos e usuários de drogas. Diariamente eles fazem abordagens e intimidam os transeuntes”, explicou.

Na tarde de segunda-feira, dia 24, algumas já receberam e protocolaram ofício encaminhado pelo vereador. “Entreguei essa reivindicação com fotocópias do abaixo-assinado feito pelos próprios moradores. Optei por essa ação rápida porque, a próxima sessão da Câmara de Vereadores será realizada no dia 2 de setembro. A comunidade está preocupada e ansiosa. Não poderia aguardar por mais uma semana. Tenho expectativa e confiança que as autoridades manterão o bom senso”, disse.

Reportagem: Felipe Balthazar

Foto: Reprodução / Google Maps