Se existe um ato inadmissível, é o ato da violência contra a mulher. Infelizmente, mais um caso de agressão foi registrado na Polícia Militar de Araranguá, e dessa vez por parte de quem menos se espera: um empresário. Proprietário de uma confecção da região, este homem agrediu uma monitora do estacionamento rotativo, após ela deixar uma multa no para-brisa do seu carro, no valor de R$ 10,00.

“Eu dei uma volta na quadra, e não tinha ninguém próximo ao carro, fiz meu serviço e apliquei a multa. Quando já estava longe, ele me chamou, amassou a notificação, jogou na minha cara e após me dizer vários desaforos, me deu um tapa no rosto e fugiu do local” disse a abatida monitora, que não terá o nome divulgado.

O soldado Dos Santos informou a reportagem da Revista W3 que um Boletim de Ocorrência - B.O. será registrado. A vítima vai ser chamada para a realização de um exame de corpo de delito. Além disso, informações do agressor já estão sendo colhidas, para anexar ao B.O. “Ele com certeza vai responder pela agressão,” informou o soldado.

As informações sobre o agressor foram possíveis, porque ele estava realizando a rescisão de um funcionário no Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Vestuário e Calçados de Araranguá. A funcionária do Sindicato viu o momento em que o empresário estava fugindo.

“É uma situação crítica ao qual estão passando nossas monitoras. Não se passa um dia em que elas não tem sofrido uma agressão verbal ou física,” lamentou a supervisora da Sermog, empresa responsável pelo rotativo, Claudia Finger.

Reportagem: Felipe Balthazar

Foto: David Cardoso