Foi realizada mais uma reunião da ONG Aguapé de proteção do meio ambiente neste mês. No início da reunião, relatou-se a conversa entre representantes da ONG, com o presidente da Fundação do Meio Ambiente (Fatma), Alexandre Waltrick, sobre o salvamento do sistema lagunar das lagoas do Caverá e de Sombrio. Naquela ocasião Waltrick disse que havia um projeto, de autoria do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), em análise na Fatma em Tubarão. Uma comissão da ONG Aguapé ficou comprometida a ir a Fatma em Tubarão para obter maiores detalhes sobre o projeto e a sua tramitação.

Conforme o vereador, Marcello Areão, também foi abordada a recuperação ambiental de área no município de São João do Sul. Por fim, se pensou a formação de comissões de membros da ONG para agirem simultaneamente em diferentes frentes, e assim, fortalecer o trabalho da ONG Aguapé.

O vereador, Marcello Areão, e membro da ONG Aguapé verificaram que o projeto na Fatma em Tubarão será insuficiente para as lagoas de Sombrio e do Caverá. Na semana passada, o vereador, Marcello Areão, e o representante da ONG Aguapé, Edimilson Colares, estiveram na Fundação do Meio Ambiente (Fatma) em Tubarão para obterem maiores detalhes em relação a um projeto proposto pelo Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra) sobre o complexo lagunar das lagoas de Sombrio e do Caverá.

Em conversa com o presidente da Fatma, Alexandre Waltrick, se criou a expectativa de este ser um projeto com o amplo objetivo de retornar o sistema lagunar às suas condições anteriores. Todavia, os técnicos da Fatma em Tubarão expuseram que se trata de um projeto, datado de 2006, e realmente de autoria do Deinfra, mas apenas para a construção de uma barragem na lagoa do Caverá. Na avaliação do vereador, Marcello, e do representante da ONG, Edimilson, este projeto não será suficiente para o salvamento do sistema lagunar.

Nos próximos dias, deverá ser procurada novamente a Assembleia Legislativa de Santa Catarina e o Deinfra para seguir a articulação para a construção de um projeto executivo que possa efetivamente salvar o sistema lagunar das lagoas de Sombrio e do Caverá.

Colaboração: Especial W3 / Jornal Amorim