Cleidison de Araújo de 32 anos, em seu apartamento em Criciúma

A Polícia Civil já concluiu o inquérito do assassinato de Cleidison de Araújo, 32 anos, morto com aproximadamente 15 facadas (pescoço, peito e abdômen) no quarto do seu apartamento localizado no bairro Universitário em Criciúma, no último dia 26 de junho, porém o crime só foi descoberto nas primeiras horas da madrugada do dia 27, vítima de latrocínio.

Ainda na tarde daquela sexta-feira (26), a Polícia Militar de Araranguá abordou quatro adolescentes que estavam na posse do veículo Fiat Pálio com placas DTY 1513 de Araranguá, pertencente a Cleidison. A abordagem ocorreu no bairro Barranca em Araranguá e, quando questionados da procedência do Pálio, os jovens afirmaram que o proprietário estaria no bairro Polícia Rodoviária e que havia emprestado o mesmo. A documentação do veículo estava atrasada e por isso foi apreendido, além de ninguém possuir CNH (Carteira Nacional de Habilitação) sendo então as providências cabíveis tomadas e os adolescentes liberados.

Quando o latrocínio foi descoberto, a PM de Araranguá localizou e conduziu durante a madrugada para a delegacia, dois dos adolescentes de 13 e 14 anos, os quais negaram o crime. Já os outros de 15 e 17 anos não foram localizados.

Dois dias depois, agentes da Divisão de Investigação Criminal de Araranguá localizaram os adolescentes citados, os quais foram ouvidos pelo delegado Jorge Giraldi, coordenador da DIC, perante o advogado. Na época os jovens infratores confessaram ter matado Cleidison e que apenas pegaram o automóvel para retornarem à Araranguá.

No dia 29 de junho as declarações dos adolescentes foram encaminhadas a DIC de Criciúma, local onde ocorreram os fatos e o delegado Márcio Campos Neves, responsável pela Delegacia de Proteção a Criança, Adolescente, Mulher e Idoso de Criciúma, concluiu o Inquérito Policial referente ao latrocínio já elucidado e, aguarda que os envolvidos sejam apreendidos e que cumpram medida sócio educativa. “No dia primeiro de julho eu fiz essa representação e, ainda estou aguardando esta decisão judicial. Esses adolescentes seguem ainda em liberdade mas, para a Polícia, seria interessante e necessários que estes dois adolescentes infratores fossem tirados de circulação, pela responsabilização deste ato grave e também para que outros atos violentos e graves sejam praticados, uma vez que ambos tem várias passagens policiais”, esclareceu o delegado da DPCAMI de Criciúma.

Reportagem: Karin Mariana- Contra o Crime

Fotos: Divulgação