A Polícia Civil de Araranguá bateu novo recorde e elucidou mais um brutal crime que abalou a região na quinta-feira, dia 2.  O aposentado Euclides Cascaes Martins de 73 anos, foi morto com golpes na cabeça e encontrado pela filha, dentro da própria casa localizada na Rua Abel Esteves de Aguiar n° 393, no bairro Vila São José, em Araranguá, por volta das 09h30min de ontem.

“Vô Quido”, como era carinhosamente chamado seu Euclides, foi assassinado entre às 05h30min e 06 horas, vítima de dois golpes na cabeça, provavelmente um martelo, causando um traumatismo craniano encefálico grave, que causou a morte.

O delegado Jorge Giraldi esteve no local do crime e imediatamente sua equipe de policias começaram uma investigação ininterrupta, que culminou com a prisão de dois suspeitos. Por volta das 18 horas, Luiz Oscar Machado Mattos de 31 anos, conhecido como “Cacau” e Valdireno Inácio Bosa de 38 anos conhecido como “Leno”, foram encontrados e presos na praça central do Bairro Barranca.

Na oportunidade, “Cacau” usava um tênis com vestígio de sangue e, na casa de “Leno” que fica próxima à Igreja do bairro, foi encontrado um moletom branco com várias manchas de sangue. Tudo foi apreendido e será periciado. Ainda em buscas na casa de “Leno”, um agente da polícia civil da DIC localizou dentro de um freezer desativado um relógio e um aparelho celular que estavam escondidos. Segundo a filha de Euclides, os objetos são idênticos aos que seu pai possuía.

Já durante a noite, o perito do Instituto Geral de Perícia esteve na Central de Polícia e, acompanhado dos agentes da DIC se deslocou mais uma vez na cena do crime, que deixou perplexa a comunidade da Vila São José. Na posse do tênis apreendido com “Cacau”, o perito localizou uma pegada deixada próximo ao muro que os criminosos pularam para terem acesso ao pátio da vítima e, a porta que foi arrombada. “Os criminosos utilizaram parte de um tanque de lavar roupas feito de concreto para pularem o muro da vítima e as marcas deixadas no local, são compatíveis as do tênis apreendido, além do pé do criminoso ser do mesmo tamanho”, comentou o delegado Jorge Giraldi que esteve à frente dos trabalhos.

Na delegacia, a dupla usuária de drogas, ainda sob efeito do entorpecente, negou o crime.

O perigo mora ao lado

Ainda segundo o delegado, o crime foi arquitetado na casa ao lado onde morava a vítima. O local, de acordo com Giraldi, é redutos de usuários de drogas. “Acredito que estavam compartilhando crack e ali mesmo armaram o crime. Segundo apontou as investigações, “Leno” e “Cacau” chegaram nesta casa de bicicleta, a qual também foi apreendida e vista por pessoas com a dupla, por volta das 05 horas da madrugada desta quinta. No interior do imóvel havia outras pessoas fazendo uso de crack, quando após também fazerem uso do entorpecente, a dupla arquitetou a investida na casa da vítima, pulando o muro, estourando a porta e matando o aposentado que morava sozinho”, ponderou.

A dupla que já é conhecida do meio policial foi autuada em flagrante pelo crime de latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Ambos negaram o crime e ficaram em silêncio, afirmando se manifestar apenas em juízo. Valdireno, o “Leno” tem mais de 30 passagens policias, entre os delitos, porte ilegal de arma de fogo, tráfico de drogas, roubo, furto, receptação, tentativa de homicídio, entre outros. Já Luiz Oscar, o “Cacau”, acumula passagens por furto, dano, desacato, porte ilegal de arma de fogo, entre outros.

Após a conclusão dos trabalhos a dupla ficou presa na Central de Polícia. Nos próximos dias, mais pessoas serão ouvidas. O delegado ainda aguarda pelos laudos periciais. O material apreendido entre o final da tarde e noite desta quinta-feira, também serão periciados, pois são provas materiais.

Reportagem: Karin Mariana- Especial W3

Fotos: Diogo CCR