O dia 26 de junho marca a data escolhida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o Dia Internacional de Combate às Drogas. O uso de drogas é um mal social em todo mundo. Segundo dados do Relatório Mundial sobre Drogas da ONU, cerca de 5% da população mundial entre 15 e 64 anos, o que corresponde a uma média de 243 milhões de pessoas, usa drogas ilícitas.

O relatório aponta também a existência de uma média de 27 milhões de usuários de drogas problemáticos - aqueles que consomem drogas regularmente ou que apresentam distúrbios ou dependência. O número corresponde a 0,6% da população adulta mundial, ou seja, cerca de uma a cada 200 pessoas.

Para ajudar no combate do uso abusivo de álcool e outras drogas, o 19º Batalhão da Polícia Militar tem realizado um importante trabalho de prevenção. Por meio de palestras e campanhas educativas, a PM têm tentado conscientizar estudantes de toda região. A iniciativa hoje foi realizada na EEB Araranguá, a maior escola pública da cidade. Durante o período da manhã e também a tarde, o Capitão Alberto Cichella palestrou sobre os riscos que as drogas trazem.

O encontro foi organizado pela direção da instituição de ensino que solicitou a participação da PM. Na oportunidade os policiais aproveitaram para abordar temas importantes sobre disciplina, atos infracionais cometidos por adolescentes infratores, medidas socioeducativas aplicadas pela justiça, crimes e contravenções.

A plateia interagiu realizando questionamentos e tirando dúvidas. Dados sobre ocorrências envolvendo drogas e o trabalho da PM no combate ao tráfico também apresentados.

Estudantes aprovam iniciativa

Para a estudante do 3º ano do ensino médio, Andileine Ribeiro Gaspar, de 17 anos,  a realização de palestras como esta são de suma importância para reforçar nos estudantes o desejo de manter-se longe do vício. A aluna explicou ainda que o uso de entorpecentes no ambiente escolar já se tornou cena comum. “Acredito que para aqueles que ainda não usam há bastante tempo as palestras surtem efeito, mas para aqueles que já estão no vício o convencimento é mais difícil,” explicou.

Já a estudante Stéfani Borges, de 16 anos, as palestras servem para alertar e mostrar a realidade atual. “Reforçar a ideia de dizer sempre não às drogas é muito importante,” concluiu.

Reportagem: Saulo Pithan

Fotos: David Cardoso