Após a Polícia Civil ter realizado a prisão preventiva do empresário Valtencir Dias João de 42 anos, acusado de ter auxiliado o principal suspeito no crime que ocorreu no dia 17 de maio, no interior de Maracajá, o outro acusado, Djalma Machado Dias que não havia sido localizado, se apresentou na delegacia. O homem confessou o crime e alegou legítima defesa. Ele foi preso e será encaminhado à uma das unidades prisionais de Santa Catarina.

Relembre o crime

O último domingo, 17 de maio foi marcado com um homicídio no interior do município de Maracajá. O crime aconteceu por volta das 18h30min na localidade de Espigão Grande, no interior de uma residência. Segundo as testemunhas – duas crianças de 07 e 11 anos e a ex-companheira de Djalma – o mesmo chegou com o irmão e matou um homem que estava na casa. Segundo a mulher, a vítima estava na casa dela há alguns dias, pois havia sido contratado para concertar o forro. Porém, seu ex-marido e pai das crianças estava enciumado, uma vez que não fazia muito tempo que estavam separados.

O crime foi praticado na frente da proprietária do imóvel e presenciado pelas crianças. Conforme relatos, o principal suspeito Djalma Machado Dias chegou no pátio da residência em um veículo GM Montana de cor vermelha, acompanhado pelo irmão. Eles desceram do automóvel e Djalma chamou pela ex-mulher. “Quando abri a porta, ele me empurrou, abraçou nossa filha e logo sacou o revólver e atirou contra Filipe, que estava na cozinha. Ao sair, veio meu ex-cunhado também armado e me ameaçou com outra arma na cabeça”, em estado de choque contou a mulher.

As crianças testemunharam a execução e após os fatos, o menino pediu socorro aos vizinhos, que acionaram a Polícia Militar. A prisão preventiva foi solicitada logo após o cometimento do crime pelo Delegado Jair Pereira Duarte, titular da delegacia de Maracajá.