A justiça de Sombrio decretou no início desta semana a sentença de três anos de reclusão para um adolescente de 16 anos que assassinou o colega no banheiro do IFC Sombrio, em novembro de 2013. O crime segundo acusação do Ministério Público, foi premeditado e teria sido arquitetado pelo menor que chegou a ser apreendido e ficou apenas 66 dias internado no Casep em Criciúma. O garoto morador de Praia Grande, ficou isolado dos demais menores que cumprem medida socioeducativa. Agora que recebeu a condenação, o adolescente infrator deverá ficar detido por até três anos.

Relembre o crime

Arthur Hobold da Rosa, 16 anos, foi assassinado no banheiro do IFC Sombrio, no dia 18 de novembro de 2013. A vítima cursava o 2º ano do ensino médio, no curso profissionalizante em Informática.

A Polícia Civil na época confirmou que haviam marcas no pescoço da vítima. A família de Arthur foi comunicada por telefone apenas por volta das 15 horas. O garoto eu cometeu o assassinato chegou a inventar uma história fantasiosa onde alegava a existência de uma pacto de morte com a vítima, afirmando que os dois eram namorados. A tese mentirosa logo foi derrubada pelas investigações da Polícia Civil que conseguiu apurar a realidade dos fatos

O autor confessou ter matado o colega asfixiado e usou ainda uma seringa para realizar perfurações nos braços e pescoço da vítima. O IML de Araranguá confirmou que a causa da morte de Arthur foi asfixia por sufocação.

Mãe aliviada

Celina Hobold, mãe da vitima fez uma postagem em uma rede social e afirmou estar mais aliviada com a sentença que condena o assassino de seu filho. Confira o texto na íntegra: “ Sei que isso nunca vai trazer meu filho de volta, mas o juiz decretou a prisão por três anos e sem direito a responder em liberdade. Está começando a pagar pelo seu crime depois de 1 ano e 4 meses. E na sentença ficou muito clara que o criminoso é perigoso, premeditou, matou e passou a culpa para os outros, sendo ele o único interessado no crime. 
Muito obrigado a todos que estiveram e estão sempre comigo e a nosso Deus maior que está dando forças para continuar.”

Reportagem: Saulo Pithan

Fotos: Arquivo