Revolta e indignação. Os motoristas que trafegam pelo calçadão de Araranguá conhecem bem o sentido destas duas palavras. Há trinta dias eles convivem com enormes buracos ao logo da via. Um motorista chegou a furar o pneu ao cair em um dos buracos.

A Reportagem da Revista W3 chegou a ouvir o secretário interino de obras, que prometeu solucionar o problema na última quarta-feira feira,25, no entanto, uma semana depois, as crateras ainda permanecem e estão ainda maiores. Como medida paliativa pedras britas foram colocadas no local, o que representa um risco sério aos veículos e aos pedestres que a qualquer momento podem ser atingidos caso haja atrito entre o pneu dos automóveis e as pedras.

Novamente nossa reportagem manteve contato com a prefeitura municipal. O secretário Albino Pereira que reassumiu a pasta informou que a usina teve problemas com a máquina que fabrica o produto utilizado para a reconstituição da camada asfáltica e deu novo prazo para iniciar uma operação tapa-buracos. “Vamos iniciar uma grande operação tapa buracos. Este atraso é em função do problema que a usina teve com a máquina, mas até esta sexta-feira já estaremos iniciando a reconstrução da via,” explicou.

Entenda a polêmica
No dia 18 de fevereiro a Revista W3 trouxe o depoimento do motorista Jorge Antônio Fagundes, 43 anos, que procurou a redação para denunciar as condições de conservação do trecho. O comerciante teve o pneu dianteiro do carro furado por causa dos buracos e prometeu que vai buscar ressarcimento dos valores junto a prefeitura municipal. Os buracos já estavam na pista desde o início do mês.

Reportagem: Saulo Pithan

Fotos: Revista W3-Arquivo