Passado o Carnaval, é chegado o momento de os brasileiros realmente retornarem à rotina. E se nos demais anos este retorno já era marcado pelas despesas de início de ano, em 2015, o conjunto de contas a pagar ganha um reforço de peso. Anunciado desde o final do ano anterior, o rejuste na tarifa de energia elétrica está prestes a ser praticado em todo o país. No geral, o reajuste deve ser, em média, de 40%. Já em Santa Catarina, a alta prevista é ainda maior, em torno de 62%.

 De acordo com o financista Cristiano Brasil, o presidente da Celesc, Cleverson Siewert já anunciou que os percentuais de reajuste só deverão ser divulgados após esta quinta-feira, 19, quando se encerram as audiências públicas da Agência Nacional de Energia Elétrica. “Serão vários aumentos em 2015, podendo chegar a 62%. Os aumentos previstos para março são de 26% para toda a região Sul que recebe energia de Itaipu e, por isso, tem um custo maior por conta do preço em dólar da energia gerada na usina binacional”, explica.

Cristiano explica que a partir deste ano, as contas de energia elétrica contam com uma novidade. Com três cores (verde, amarela e vermelha), as bandeiras tarifárias indicam se a energia irá custar mais ou menos, em função dos custos da geração de energia. “Essas bandeiras foram criadas porque o Brasil gera energia basicamente de hidrelétricas. Quando os níveis das chuvas diminuem, o sistema precisa ligar as termelétricas, que consomem combustível para gerar energia e, por isso, o custo de geração aumenta drasticamente”, esclarece.

Pesa no bolso

O financista afirma ainda que, com certeza, os reflexos do reajuste na conta de energia serão sentidos pelo consumidor, uma vez que a conta vai quase dobrar em relação ao que se pagava no inicio de 2014 – uma vez que além do reajuste atual, o consumidor já sofreu com a alta no final de 2014 pela Celesc.

Para amenizar a alta e evitar os reflexos do reajuste, Cristiano orienta o consumidor à observar e monitorar, cada vez mais, seu consumo diário em casa e nas empresas. Entre os exemplos de hábitos que podem levar à uma economia, o financista destaca alguns hábitos simples, mas que podem fazer toda a diferença. Confira :

Em casa

·         Banhos mais rápidos;

·         Máquinas de lavar devem ser ligadas somente quando juntar um número grande de roupas sujas;

·         Quando ligar o ferro de passar aproveite e passe várias roupas para evitar ligar e desligar o aparelho muitas vezes;

·         Baixe o termostato das geladeiras e freezers para reduzir o consumo;

·         Troque as lâmpadas incandescentes pelas fluorescentes ou led’s;

·         Retire os aparelhos que não estão sendo utilizados da tomada;

·         Reduza a utilização de ar condicionado.

Mudança de hábitos

Antes mesmo de o rejuste ser praticado, alguns consumidores já adotam algumas medidas de economia. Desde o início deste mês, a dona de casa Juliana Brullunger, passou a aderir a alguns hábitos economistas. “De outubro para janeiro, sentimos uma diferença de mais de R$ 90,00 na conta de energia. Para tentar amenizar este aumento, tomamos algumas medidas de economia”, revela.

Entre os hábitos adotados pela consumidora está o desligamento das luzes durante o dia, ou em ambientes vazios; a retirada da tomada de aparelhos que não estão sendo utilizados; e banhos mais rápidos. “Vamos ver se estes hábitos irão refletir em uma conta mais econômica no próximo mês”, afirma.

BANDEIRAS DE CONSUMO

As bandeiras que estarão em funcionamento em cada região devem ser anunciadas mensalmente pela Aneel e pelas distribuidoras de energia. Entenda como funcionam:

·         Bandeira Verde: boas condições de geração de energia. A tarifa não sofre acréscimos.

·         Bandeira Amarela: condições de geração menos favoráveis. A tarifa sofre acréscimo de R$ 1,50 a cada 100 quilowatt/hora consumidos.

·         Bandeira Vermelha: condições mais custosas para a geração de energia. Aumento de R$ 3,00 para cada 100 quilowatt/hora consumidos.

*Atualmente, para a Região Sul e todas as demais  regiões do país, a bandeira vigente é vermelha.

O ESPECIALISTA:

Cristiano Brasil é empresário, palestrante, pós-graduado MBA em Gestão Financeira e pós-graduado Especialista em Mercado de Capitais, Certificado a atuar como Agente de Investimentos, também é sócio-diretor da i9 Investimentos. Presta auxilio no planejamento financeiro de famílias, casais, pessoas físicas e jurídicas. É autor do livro de Bolso “A Cartilha do Dinheiro”, no qual lista mais de 80 dicas de como a família pode economizar no dia-a-dia.Cristiano Brasil também é vice-presidente de Serviços na ACIVA (Associação Empresarial de Araranguá e Extremo Sul Catarinense).

Reportagem: Maiara Possamai
Fotos: Gabriela Silva