Nesta quinta-feira, uma das vozes mais conhecidas do 190 da Polícia Militar no extremo-sul de Santa Catarina se aposenta. Após 25 anos de corporação, atuando no Copom (Centro de Operações da Polícia Militar)e atendendo aos mais diferentes pedidos de socorro, Evaldo da Silva Moro, o sargento Moro,  da 2ª Companhia da Polícia Militar de Sombrio, terá merecido descanso. O policial entra para a aposentadoria após um vida aprendendo e ensinado dentro da PM.

Segundo os colegas, o sargento sempre foi exemplo durante os 25 anos de trabalho por sua forma de agir, com uma organização exemplar. Tanto no trabalho como na comunidade,  nunca deu espaço para intrigas, e sempre com respeito aos  colegas focou em suas ações. Nos últimos anos como chefe do Copom repassou seu conhecimento de décadas aos novos policiais, que continuarão cumprindo a missão que foi dele por mais de duas décadas.

O sargento Edimilson Colares, um dos policiais mais antigos da 2ª Companhia, lembra que  o colega sempre teve uma personalidade séria e focada no trabalho, e que com o tempo e com o conhecimento adquirido sempre desempenhou  muito bem seu trabalho.  Eram amigos já no antigo Pelotão, onde sempre foi um companheiro  disposto a dividir seu conhecimento com os policiais mais novos, somando para que a atual Companhia de Polícia possa executar o trabalho da melhor forma possível  para a sociedade.

“A ficha ainda não caiu, foram muitas histórias dentro da Polícia Militar, finais felizes, outros nem tanto, o Furacão Catarina, os vários comandantes que passaram por Sombrio, os vários policiais que conheci. Sem dúvida é uma vida de histórias, trabalhando para fazer o melhor. Todos os dias na PM é um novo dia, com novas ocorrências, novas histórias, mas que sempre foi gratificante. Por isso tenho que agradecer a todos os amigos policiais e todos aqueles que por aqui passaram, que sentirei saudades, mas deixo a PM com a certeza de que nossos policiais continuarão honrando nossa farda, buscando fazer mais que o necessário para levar a segurança para a sociedade, pois essa sempre foi e é nossa missão. Sempre planejando a aposentadoria e imaginamos como vai ser, mas sem dúvida a saudade da 2ª Companhia vai bater!”, comenta sargento Moro.

O comandante capitão Luiz Paulo também falou sobre a conduta do colega. “Para nós o sargento Moro é lembrado como exemplo de policial e como cidadão, dedicado a seu trabalho,” finalizou.

Reportagem e fotos: Romildo Black- Colaboração Jornal Amorim