Duas audiências importantes estão marcadas para os próximos dias. A primeira será nesta sexta-feira, 28, em Gaivota, sobre educação

Nos próximos dias haverá duas importantes audiências públicas e o Ministério Público convoca a população a participar.


Nesta sexta-feira, na Câmara de Vereadores, a partir das 19 horas, haverá uma audiência pública referente a educação, em âmbito municipal. Este é um projeto do Ministério Público junto ao Ministério Público Federal, em que os três entes da federação buscam formas de melhorar a educação, já que o município apresentou Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). A promotora, Elisandra Sampaio Porto, convida pais e futuros pais a estarem juntos neste momento para ser feito um diagnóstico da situação atual em busca de alternativas que tragam resultados melhores ao futuro.  “É importante a comunidade presente para apresentar os problemas. Todas as ações feitas são baseadas sobre o que eles indicam. Questões como defasagem de vagas e problemas com ginásio são alguns dos pontos a serem abordados. Nosso trabalho é pautado na comunidade e precisamos que compareçam a audiência para fazer o encaminhamento necessário”.

O objetivo é identificar os motivos dos baixos índices de desenvolvimento da educação básica (IDEB) no Município de Balneário Gaivota, apurando as devidas responsabilidades para que o serviço seja adequadamente ofertado, implementando o Projeto MPEDUC em atuação conjunta da 2ª Promotoria de Justiça de Sombrio com a Procuradoria da República de Criciúma. O Ministério Público pela Educação (MPEduc) é um projeto desenvolvido para ser executado em parceria entre o Ministério Público Federal e o Ministério Público dos Estados. Como o nome descreve, seu principal objetivo é o de estabelecer o direito à educação básica de qualidade para os brasileiros. Afinal, a educação faz toda a diferença para o pleno desenvolvimento da pessoa, para o exercício de sua cidadania e em sua qualificação para o trabalho.

Já no dia 2 de dezembro, terça-feira, será uma audiência pública sobre a Lagoa do Sombrio. Os membros da comissão da Assembleia Legislativa agendaram para 2 de dezembro uma audiência pública em Sombrio, para tratar da criação de uma unidade de conservação de uso sustentável para as lagoas do Sombrio e do Caverá. O pedido para o encontro partiu da Associação de Proteção Ambiental Aguapé, com base em uma decisão judicial que obriga os municípios de Sombrio, Santa Rosa do Sul, São João do Sul, Passo de Torres e Balneário Gaivota a criarem a unidade de conservação nessas lagoas.


Reportagem e fotos: Colaboração Jornal Amorim- Especial Revista W3